Envie para um amigo  Imprima esta página  Procure no arquivo

JORNALISMO & WEBLOGS
Uma aposta de cinco anos

Rodney Brocanelli (*)

Nesses quase sete anos de uso comercial, a internet teve várias febres. Uma das primeiras foi a da homepage pessoal, atendendo as mais diversas necessidades. Depois, vieram as listas de discussão via e-mail, nas quais os internautas criam comunidades virtuais tendo como ponto de partida um estilo musical, uma série de televisão ou uma categoria profissional, entre muitas opções. Mais adiante, aconteceu a explosão dos programas de comunicação. Quem não conversa online com os amigos através do ICQ, do MSN ou assemelhados? Recentemente houve a coqueluche dos programas Napster e Audiogalaxy, ideais para o compartilhamento de músicas. Os dois serviços atualmente estão fora do ar, mas dentro em breve novas alternativas serão criadas, para deleite do público jovem. Na historia da net é sempre assim: cria-se um serviço novo e todos correm em peso para usufruí-lo.

A atual febre da internet é o blog, que está na ordem do dia. Muitos estão colocando os seus na rede e com as mais diferentes finalidades. No início, o blog servia como um diário virtual semelhante ao da Luluzinha das histórias em quadrinhos (alguém aí se lembra?), ou então como um depósito de textos para lá de pessoais, iguais àqueles que costumamos escrever nas páginas finais dos nossos cadernos de escola.

Alguns teóricos da comunicação consideram o blog uma forma de jornalismo, e grande parte deles, otimista ao extremo, acredita de forma veemente que esse veículo substituirá o jornal (já ouvimos essa história antes, e os protagonistas eram outros meios de comunicação).

Está em curso uma aposta entre o blogueiro Dave Wine e Martin Nisenholtz, editor do New York Times na web. Para Winer, em cinco anos o jornalismo praticado por blogueiros vai informar melhor e ter mais influência do que um jornal como o NYT. Nisenholtz, óbvio, discorda. Só o tempo para revelar o ganhador da aposta ou se tudo foi apenas uma empolgação passageira com mais esse serviço que a internet proporciona.

A tendência de blogs jornalísticos (e também literários) já chegou ao Brasil. A seguir, um guia para os mais interessantes na área musical, que não tem a pretensão de ser completo. Trata-se de uma seleção pessoal de sites mantidos por jornalistas e escritores, uma amostragem do que há de melhor na rede. Confira.

Trabalho sujo

<http://www.trabalhosujo.blogspot.com>

Entre 1995 e 2000, o jornal Correio Popular (Campinas, SP) teve em seu caderno cultural uma seção chamada Trabalho Sujo. Coordenada pelo jornalista Alexandre Matias, procurava ser uma alternativa à cobertura dos jornais tradicionais na área musical. As chamadas "prioridades das gravadoras", ou seja, os lançamentos do momento, tinham seu espaço. Porém, Matias procurava fugir desse roteiro imposto, que abre espaço apenas aos lançamentos das majors, e buscava trazer resenhas e reportagens apresentando o trabalho de bandas em início de jornada ou que estavam hibernando na época.

No blog, Alexandre Matias faz coletânea de seus textos publicados no Trabalho Sujo. A seu favor tem a pesquisa. Matias manja muito do que está falando (pode parecer óbvia essa afirmação, mas tem gente que milita na crítica musical e sabe pouco do terreno em que pisa). O que pode atrapalhar a leitura é o tom por vezes ensaístico em demasia de seus escritos. Um dos destaques é a entrevista com a banda Fellini, a primeira vez em que alguém da chamada grande imprensa pensou em resgatar a obra dessa importante banda independente. Outras coisas que valem a pena ser conferidas: um texto sobre o Titãs, que estava lançando o seu suicida As dez mais, e outro sobre o duo de música eletrônica Basement Jaxx. Hoje, Alexandre Matias é editor da revista Play, publicada pela Conrad Editora.

Uma tarde aí

<http://www.umatardeaih.blogspot.com>

Aqui estão pendurados os textos literários de Gustavo Bittencourt, o Mini, redator publicitário em Porto Alegre e integrante da banda gaúcha Walwerdes e contista de mão cheia. As referências sobre cultura pop e música vão atrair os leitores mais jovens, como se pode perceber nesse exemplo: "Ele não ouve Sonic Youth e não viu Touro Indomável. Viu Pulp Fiction dublado na Bandeirantes e achou estranho. Não entendeu por que o Travolta volta no final do filme. Aliás, não imaginava que o Travolta estava tão gordo." O maior mérito é que cada um pode fazer a sua própria interpretação daquilo que está sendo lido. Não se trata de uma literatura pronta para ser enfiada goela abaixo. O que Mini precisa em seu blog é situar o leitor se os textos são inéditos ou não. Ele já fez um zine com seus contos, o Poneifax; já colaborou com a revista literária online TXT Magazine <http://www.txtmagazine.com.br> e escreveu no primeiro número da revista Play. Blogs com conteúdo literário são constantes na net (e muitos deles em português). Para quem quiser conhecer mais iniciativas nesse gênero, sugiro uma olhada nos links da TXT Magazine.

Delícias cremosas

<http://www.deliciascremosas.com.br>

Um dos blogs mais divertidos da net. Treze garotas se reuniram para contar as suas experiências no campo afetivo. Os textos são focados nos relacionamentos amorosos das meninas e o que elas esperam dos garotos. Na verdade, o Delícias é uma verdadeira conversa de banheiro feminino (ok, desculpem pela falta de originalidade na definição). Os leitores do sexo masculino deveriam dar uma olhada no Delícias antes de se acharem os maiorais. É bem melhor do que acompanhar aquelas matérias do tipo "o que elas preferem" publicadas em revistas como Capricho, Nova, Marie Claire, Playboy, Vip Exame, entre outras. Talvez nem fosse essa a intenção inicial do DC, mas o resultado final acabou se transformando numa leitura de grande importância para os homens. A linguagem do site é direta, honesta e por muitas vezes engraçada. Para quem ainda não é maior de idade um conselho: não deixe seus pais saberem que você visita esse site.

Exquisite

<http://www.exquisite.com.br/gonzo>

Site da jornalista Cecília Gianetti. Aqui ela faz comentários acerca da cultura pop, de sua banda (ela é vocalista do Cassino, uma das promessas da atual cena independente), e de seu trabalho (Cecília escreve para sites como No. e para a revista Play). Recentemente, colocou no ar a transcrição completa de sua entrevista com Marcelo Camelo, vocalista da banda Los Hermanos, publicada de forma editada pelo site. Quem manja um pouco da historia do jornalismo americano e de seus grandes nomes vai sacar o "gonzo" da URL. É uma referência a Hunter S. Thompson, célebre pelas reportagens publicadas na Rolling Stone e também por seus livros. Ele não se limitava a descrever os fatos, mas participava deles, virando parte integrante da história, sempre estimulado por drogas pesadas. O estilo imposto por Thompson ficou conhecido mundialmente pelo nome de "gonzo". Dica: assistam a Medo e delírio em Las Vegas, com Johnny Depp e Benicio Del Toro, baseado em livro clássico de HST. Cecília, sempre que possível, solta uma nota relacionada a Hunter S. Thompson em seu blog (até porque ele foi tema de sua monografia de fim de curso e é a principal influência para seu trabalho), mas o conteúdo é muito mais do que apenas uma homenagem ao jornalista.

Rádio Base

<http://www.radiobase.blogspot.com>

Esse é um belo exemplo de blog jornalístico. Um jornalista, um publicitário e dois radialistas, todos apaixonados pelo rádio, tiveram a seguinte idéia: fazer um blog contando o que acontece no rádio sob a "ótica" do ouvinte. Nascia, assim, o Diário de Bordo da Rádio Base. Segundo Marco Antonio Ribeiro, um de seus responsáveis, o esforço de todos é dar "opinião do ponto de vista do ouvinte que 'consome' a programação de rádio". Diz ele: "Tentamos ser uma espécie de ombudsmans informais do rádio." E o trabalho desenvolvido é muito bom. O blog traz um misto de notas apuradas pelos colaboradores da Rádio Base com informações já veiculadas pela imprensa. O tom das análises é crítico, elogiando ou malhando quando necessário. O blog é um alento para os amantes do rádio, pois o espaço para notícias sobre o meio é insuficiente em outras mídias (internet e jornal). Um dos destaques é a página de Arquivos Sonoros, com vinhetas antigas de emissoras de rádio e depoimentos de profissionais que fizeram a história do meio.

Chutem o crítico

<http://www.chutemocritico.blogspot.com>

Marco Antonio Barbosa é crítico musical de um site da internet, o Cliquemusic, um dos melhores do gênero. Escrevendo para um meio como a internet, é óbvio que a resposta dos leitores é imediata. Afinal, a crítica está lá na página e o e-mail de quem a escreveu está lá também. Barbosa teve uma excelente idéia: colocar num blog, a título de amostragem, algumas das mensagens eletrônicas que recebe por conta de suas resenhas. É claro que nem todos os leitores concordam com o que Marco Antonio escreve, mas alguns exageram. Por exemplo: "Não gostei do comentário que colocaram sobre a Fat Family, quem escreveu é um sacana que não entende de música." A principal contribuição de Marco Antonio com esse blog é expor a relação entre a crítica musical e seus leitores. Ao contrário do que muitos artistas pensam, os críticos não fazem a cabeça das pessoas. O que acontece é quase o inverso: alguns jornalistas acabam tendo dores de cabeça com a repercussão de seus textos. O único ponto negativo desse blog é que Marco Antonio acaba julgando o texto de seus leitores: "O cara não tem noção de pontuação nem de conjugação verbal, mas sabe tascar um maldito 'disponibilizaram', como todo bom babaca internético." Em outro trecho, ele implica com um erro de pontuação de uma leitora: "Notem que a moça, num arroubo estilístico ‘jamesjoyceano’, encerra o texto com uma vírgula." Comentários como esses poderiam ser evitados. Fica parecendo que a intenção do blog é se vingar daqueles que escrevem. Mas esse deslize não chega a comprometer a idéia primordial do site.

Na cova do leão

<http://www.nacovadoleao.blogspot.com>

Não se trata de nada relacionado a Leão Lobo, Gilberto (Leão) Barros ou outros leões da mídia. É o blog do jornalista Tom Leão, que há cerca de 15 anos mantém a seção Rio Fanzine, no tradicional O Globo. Como Tom escreveu num de seus primeiros posts: "Apesar de eu escrever uma coluna semanal (...), colaborar com alguns sites e coisa e tal, ainda assim falta espaço para tratar alguns tipos de assunto. alias, assunto n falta." Então, aqui Tom Leão exerce um pouco mais seu lado de colunista/cronista. Tom escreve sobre sua experiência como DJ, analisa o mercado editorial das revistas de música e ainda dá dicas para quem deseja ser jornalista musical, entre outros assuntos. O ponto negativo do blog é o excesso de "nãos" (n) e "quês" (q) abreviados.

Grandes ilusões

<http://www.grandesilusoes.blogspot.com>

Grandes Ilusões é o nome de uma música da banda Fellini, extraída do belíssimo álbum Amor louco (1990), e que inspirou Guilherme Darisbo para batizar seu blog. Aliás, a fonte de inspiração não foi apenas a canção. O design emprega a mesma cor usada na capa deste trabalho da banda paulistana. O problema aqui acaba sendo a falta de atualizações constantes. Por um lado, é bom escrever apenas quando se tem algo a dizer, mas a falta de posts acaba fazendo com que o leitor abandone o hábito da leitura, o que pode significar a morte de um blog. O destaque de Grandes Ilusões é a compilação de ilustrações de Darisbo para outras publicações. O blog, segundo seu próprio autor, é "um pouco do que tenho visto e feito".

Grapete

<http://www.grapete.blogspot.com>

Mantido por Thais Aragão, jornalista e vocalista da banda independente Alcalina (ainda não ouvi, mas dizem que promete). Nos seus textos, Thais oscila entre a literatura e a informação pura e simples, dando um tom totalmente peculiar ao seu blog. O Grapete acaba impondo um estilo próprio, coisa rara de se ver por aí.

Spectorama

<http://www.spectorama.blogspot.com>

Esse aqui é um outro blog literário, conduzido pelo escritor André Takeda, autor de O Clube dos Corações Solitários (Ed. Conrad). Takeda mistura seus contos com notas sobre música pop. Como no caso de Gustavo Mini Bittencourt, o ponto de partida para os textos é a música. Exemplo disso é o esboço de um enredo envolvendo uma stripper fã de Ramones e seu romance com um executivo. A criação da história foi inspirada a partir do álbum So much for the afterglow, do Everclear. Apesar disso, o leitor não precisa ser fã de bandas como as citadas aqui para curtir a literatura de Takeda.

Baby borderline

<http://babyborderline.blogspot.com>

Um blog bonitinho e bem feitinho escrito pela jornalista Sylvie Piccolotto. Esse tem mais cara de diário pessoal mesmo: o leitor poderá compartilhar sua expectativa por um belo período de férias que se vislumbrava no final do mês de abril. Ah, e morram de inveja fãs do Marky Ramone, pois Sylvie publicou uma foto dela com o ex-integrante da lendária banda Ramones.

Flavia Durante

<http://www.flaviadurante.com/blog/>

A jornalista Flávia Durante é uma verdadeira workaholic nesse mundinho dos blogs. Além do blog pessoal, seu nome está por trás de outros projetos, a saber:

<http://www.flaviadurante.com/caixapreta/>: o tema principal é a crítica de TV. Uma boa idéia que precisa ser mais bem cuidada. Afinal, já faz um tempo que não há textos no blog; <http://euvinochat.weblogger.com.br/>: coisas tenebrosas que se vêem nos chats da vida; <http://www.flaviadurante.com/assessorindie/notas.htm>: notas sobre o rock independente no Brasil. Foi indicado para o Prêmio Dynamite de Música Independente 2001, promovido pela revista de mesmo (e explosivo) nome na categoria de melhor site do ano; <http://www.geocities.com/tramposblog/>: um balcão virtual de empregos para profissionais de comunicação.

(*) Colaborador dos sites Euqueromais, Onzenet, Ruídos, Canal B e Esquizofrenia. Blog pessoal: <http://onzenet.blogspot.com>


  Mande-nos seu comentário


Observatório | Índice da edição | Busca
Objetivos | Purposes | Edições anteriores
Modo de Usar | Banca | Jornalistas na Net | Equipe