segunda, 17 de fevereiro de 2020 ISSN 1519-7670 - Ano 20 - nº 1074

Blecaute de ética

A peleja Globo X Record cada vez mais passa dos limites da ética, coerência ou qualquer outra coisa que possa se prezar como valor em uma sociedade ‘civilizada’. Em nota da Folha, a primeira entre inúmeras a repercutir a gafe dupla da manhã de 11/11/2009.

O ocorrido: a Record, em seu programa Hoje em Dia, exibiu pela manhã um bate-boca ao vivo entre repórteres da Globo e da Record que disputavam uma entrevista com o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmerman, sobre o apagão que atingiu 12 estados brasileiros na noite de ontem [10/11].

Mais que um apagão de energia, parece-me que tivemos um apagão na mídia brasileira. Um fato vergonhoso levaria a outro, seria o início de romance policial aonde caberia perfeitamente este acontecimento. A repórter da Record Venina Nunes é anunciada pelos apresentadores do programa e aparece ao vivo perto do secretário, que aguardava para ser entrevistado por Camila Bomfim, da Globo News.

Do lado recordino, a argumentação é de que não havia ordem predeterminada e que eles entrariam ao vivo, e a Globo, não. Venina tentou então chamar o secretário para começar uma entrevista, mas foi interrompida pela jornalista da Globo, que informou que ela deveria esperar.

Competência, e não influência

Como forma falida de apaziguar a coisa, o apresentador Celso Zucatelli, disse: ‘Muitas pessoas estão querendo ter a informação. Tá tudo certo, não se preocupe, a gente está acompanhando tudo por aqui’. E depois criticou o trabalho dos assessores de imprensa. ‘Se não está ao vivo, se estão segurando o secretário propositalmente… eu venho aqui pedir que a assessoria do secretário colabore. Olha só, o secretário está esperando, nós estamos esperando porque a assessoria resolveu que ele vai esperar’, disse o apresentador. Depois da declaração, em meio à confusão, um assessor do ministro: ‘Você invadiu o espaço da Globo, invadiu o link’, disse um assessor de imprensa, impedindo novamente que a repórter se aproximasse.

Enquanto a jornalista se explicava novamente aos telespectadores, a Globo News exibia a entrevista de Camila com Márcio Zimmerman. Esta, que não estava prevista, em uma clara demonstração de força. Chamada ao vivo novamente pela equipe do Hoje em Dia, Venina Nunes teve que esperar novamente, pois o secretário estava gravando uma nova entrevista para a Globo.

O alinhamento hoje da TV Globo com o governo talvez se explicasse pelo descriterioso refinanciamento de suas dívidas pelo governo Lula – quem sabe, essa dívida, pós ou pré-paga, tenha a ver com o fim de 2009 e ainda teremos um quase monopólio midiático, ao contrário de exemplos de diversos países onde há uma partilha do filão TV.

O menos racional dessa história é que, pensaria eu, se pudesse opinar, por mais que haja concorrência, se é que existe concorrência no Brasil, deveria sê-lo por competência, e não por influência.

******

Ator, diretor teatral, cantor, escritor e jornalista