quarta, 19 de fevereiro de 2020 ISSN 1519-7670 - Ano 20 - nº 1075

Agência de comércio dos EUA entra no debate

Parece que, quando o assunto é o futuro dos jornais, todo mundo tem uma opinião a dar. Nos EUA, o debate só cresce: executivos tentam bolar planos infalíveis para voltar a lucrar; políticos buscam soluções para ajudar. A Comissão Federal de Comércio americana (FTC, sigla em inglês), agência que garante a competição econômica e os direitos do consumidor, também decidiu entrar na roda e irá promover seminários para debater o futuro do jornalismo na era da internet. ‘A competição entre organizações de mídia envolve mais que o preço’, disse o presidente da FTC, Jon Leibowitz. Talvez o fato de Leibowitz ser casado com Ruth Marcus, colunista do Washington Post, tenha colaborado para que ele tenha um outro olhar sobre o tema.


Na opinião de Neil Henry, professor e reitor da Escola de Jornalismo da Universidade da Califórnia, a FTC parece estar ‘tentando desempenhar um papel de facilitadora e de educadora pública ao reunir várias disciplinas e perspectivas para falar sobre a atual crise na indústria jornalística’. ‘É bem-vindo o desejo do governo de trazer o assunto à tona e ajudar a explicar por que é importante um debate nacional’, afirmou.


Ao final dos seminários, que ocorrerão durante dois dias em dezembro, será elaborado um relatório com recomendações a legisladores sobre mudanças nas políticas da indústria, em aspectos que vão desde impostos a direitos autorais. Os temas específicos dos debates ainda não foram escolhidos. ‘Queremos estar de mente aberta’, afirmou Leibowitz. Informações de Pradnya Joshi [New York Times, 24/8/09].