segunda, 17 de fevereiro de 2020 ISSN 1519-7670 - Ano 20 - nº 1074

Tribunal de Zâmbia inocenta editora por fotos de parto

A jornalista zambiana Chansa Kabwela, levada a julgamento sob acusação de ‘distribuir material obsceno’ por ter enviado ao presidente do país fotografias de uma mulher dando à luz em um estacionamento de um hospital, foi inocentada esta semana. Chansa, editora do jornal Post, foi presa em julho por tentar denunciar às autoridades as consequências de uma greve dos trabalhadores do sistema de saúde. A mulher entrou em trabalho de parto no estacionamento e teve o filho sem nenhuma assistência médica; a criança, que estava em posição invertida, morreu.

As fotos foram tiradas por um parente da mulher e entregues ao jornal, com o objetivo de chamar a atenção ao impacto da greve na vida das pessoas. As fotos não foram publicadas, por serem consideradas muito fortes, mas Chansa as enviou a membros do governo na tentativa de que a greve fosse encerrada. O presidente Rupiah Banda condenou o jornal por distribuir o que classificou de ‘pornografia’. Segundo determinação do tribunal, a acusação não conseguiu provar o delito da jornalista. Informações da Reuters [16/11/09].