MÍDIA & MERCADO

TV lidera recebimento de publicidade federal

Por Breno Costa e Leandro Colon em 18/09/2012 na edição 712

Reproduzido da Folha de S. Paulo, 13/09/2012; intertítulo do OI

Dados inéditos sobre a distribuição da verba de propaganda do governo federal revelam que dez veículos concentram 70% do dinheiro distribuído para mais de 3.000 veículos de comunicação. Levantamento feito pela Folha nos dados divulgados pela Secretaria de Comunicação Social, vinculada à Presidência, mostra que, desde o início do governo Dilma Rousseff, mais de R$ 161 milhões foram repassados para emissoras de TV, jornais, revistas, rádios, sites e blogs. Do total, R$ 111 milhões se concentraram em dez empresas, em especial TVs. Os números não incluem a publicidade de empresas estatais federais.

A Globo Comunicação e Participações S.A., responsável pela TV Globo e sites ligados à emissora, ficou com quase um terço da verba entre janeiro de 2011 e julho deste ano, R$ 52 milhões. A segunda colocada é a Record, com R$ 24 milhões. A ministra da Secom, Helena Chagas, diz que o governo segue critérios de audiência. “É inevitável que o maior volume de pagamentos seja dirigido a meios e veículos de maior audiência, que atingem um maior público, como é o caso da televisão.” A Empresa Folha da Manhã S.A., que edita a Folha, recebeu R$ 661 mil. A Infoglobo, que edita o jornal O Globo, R$ 927 mil. O jornal O Estado de S. Paulo, R$ 994 mil. O portal UOL, controlado pelo Grupo Folha, recebeu R$ 893 mil. Os valores aparecem sempre associados às empresas que receberam o pagamento, não aos veículos que divulgaram os anúncios.

Política de regionalização

Em julho, a Folha recebeu resposta negativa da Secom ao tentar obter esses dados baseada na Lei de Acesso à Informação. O governo disse, na época, que os pagamentos eram feitos a agências de publicidade, e não diretamente aos veículos.

Ao justificar ontem a decisão de passar a divulgar as informações, a Secom informou que fez isso para tornar o processo mais transparente.

Sobre a verba destinada aos veículos de pequeno porte, a Secretaria diz que eles fazem parte de política de regionalização do governo. (Colaborou Rubens Valente)

***

[Breno Costa e Leandro Colon, da Folha de S. Paulo]

ATENÇÃO: Será necessário validar a publicação do seu comentário clicando no link enviado em seguida ao endereço de e-mail que você informou. Só as mensagens autorizadas serão publicadas. Este procedimento será feito apenas uma vez para cada endereço de e-mail utilizado.

Nome   Sobrenome
 
     
E-mail   Profissão
 
     
Cidade   Estado
 
     
Comentário    

1400
   
Preencha o campo abaixo com os caracteres da imagem para confirmar seu comentário, depois clique em enviar.
Recarregar imagem
   
   



Este é um espaço de diálogo e troca de conhecimentos que estimula a diversidade e a pluralidade de ideias e de pontos de vista. Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime. Os comentários devem ser pertinentes ao tema da matéria e aos debates que naturalmente surgirem. Mensagens que não atendam a essas normas serão deletadas - e os comentaristas que habitualmente as transgredirem poderão ter interrompido seu acesso a este fórum.

 

 Luiz Carlos Castilho
 Enviado em: 20/09/2012 07:57:35
161 milhões é muito dinheiro para publicidade, especialmente para grandes órgãos de imprensa. A verba dessas empresas que são privadas deveriam vir de patrocínios privadas, de assinaturas, de vendas em banca. Grande parte desse dinheiro seria melhor aplicado em educação e saúde. As verbas publicitárias deveriam ir para órgãos da mídia do interior, com poucos recursos, e não sustentar empresas gigantes que não dão nada em troca para população.

Breno Costa e Leandro Colon