Thursday, 18 de July de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1297

Jornal belga se desculpa por montagem racista com foto de Obama

O De Morgen, um dos principais jornais da Bélgica, desculpou-se na semana passada por uma sátira que continha imagens racistas do presidente Barack Obama para zombar de sua relação tensa com o presidente russo Vladimir Putin.

Os editores do diário explicaram que a premissa de sua "piada reconhecidamente de mau gosto" era que o presidente russo havia sido convidado a apresentar um artigo sobre Obama, optando porém por enviar duas caricaturas racistas no lugar do ensaio: uma fotografia legendada sugerindo que o primeiro presidente afro-americano dos Estados Unidos era um traficante de drogas; e uma segunda fotografia digitalmente alterada caracterizando o presidente e a primeira dama com feições de macacos.

 

 

“Racismo é problema em outros países”

Em um editorial com o título “O De Morgen é racista?”, o jornal, com raízes no movimento socialista, essencialmente se absolveu da acusação, sugerindo que os leitores regulares tinham consciência da posição do veículo contra o racismo e compreendiam que as imagens ofensivas tinham a intenção de satirizar o modo de pensar dos racistas.

Os editores argumentaram que seu erro foi presumir que o contexto das imagens, em uma seção satírica regular do jornal, deixaria claro aos leitores que não havia intenção de gerar ofensa, mas que, quando as fotos circularam pela internet, o contexto se perdeu. Quando "você considera o fragmento para além de seu contexto, o qual funcionou corretamente em uma seção satírica, você não enxerga a piada, apenas uma imagem que evoca puro racismo", escreveram. "Presumimos erroneamente que o racismo não é mais aceitável e que, desta forma, poderia ser objeto de uma piada”. Eles chegaram a sugerir que tinham se esquecido do fato de que a alegoria que compara africanos e seus descendentes a macacos ainda é muito comum.

Absolvendo-se da acusação de abrigar intenções racistas, os editores concluíram o texto com um pedido de desculpas a quem porventura tenha se sentido ofendido. O jornal também sugeriu que a reação à sua sátira de mau gosto foi mais forte fora da Bélgica porque o racismo é “um problema maior em outros países”.