Monday, 17 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Subsídios para o referendo

Para dar informações à população de forma a incentivar o voto consciente no referendo de 23 de outubro, o Viva Rio produziu o livro Armas de fogo: proteção ou risco?. A obra representa um esforço de democratização da informação. Para que chegasse ao público por um terço do preço de mercado, foi escrito e produzido com trabalho voluntário, e chega agora não só às livrarias, mas também às bancas de jornal, e pelo preço de uma revista – 10 reais.


Concebido como um guia prático, o livro responde a 100 perguntas e dúvidas, referindo ‘a tudo aquilo que você queria saber sobre as vantagens e desvantagens do uso de armas de fogo para autodefesa e não sabia a quem perguntar’.


São perguntas recolhidas pelos autores durante os seis anos em que debateram com diferentes auditórios, por todo o país, durante a campanha do Estatuto do Desarmamento. O livro tem o formato de prós e contras o uso de armas, posições que são fundamentadas com o que há de mais atualizado em pesquisa, cabendo ao leitor tirar suas conclusões e votar com conhecimento de causa no referendo.


O tema das armas é controverso, e novo no Brasil, daí a importância do acesso a informações, até aqui restritas aos centros de pesquisa. O livro divulga dados relevantes e desconhecidos do público leigo. São analisados os efeitos do desarmamento em diferentes países, onde os autores pesquisaram. O guia é de fácil consulta, com índice pormenorizado, para que se possa encontrar rápido a relação, por exemplo, entre o uso de arma e Educação, Mídia, Religião, Mulheres, Saúde Pública, Jovens, Negros, Cultura etc.


Sobre os autores


Antônio Rangel Bandeira é sociólogo, dirigiu os departamentos de Sociologia e Política da PUC do Rio de Janeiro e da Universidade de Lisboa, além de ter sido instrutor de armamento no Exército, como tenente da reserva. Atualmente coordena o Programa de Controle de Armas do Viva Rio. Josephine Bourgois, cientista social francesa, com pós-graduação na Universidade de Nova York e Sorbonne, é pesquisadora do Viva Rio.