Tuesday, 05 de March de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1277

Carta Aberta reúne nomes importantes do cinema

(Foto: Reprodução Internet)

Está circulando pela internet a seguinte Carta Aberta em apoio a Carlo Chatrian, diretor artístico da Berlinale, já com centenas de assinaturas:

“Nós, um grupo diversificado de cineastas de todo o mundo, que temos profundo respeito pelo Festival Internacional de Cinema de Berlim como um lugar para grandes filmes de todos os tipos, protestamos contra o comportamento prejudicial, pouco profissional e imoral da ministra de Estado Claudia Roth ao forçar o estimado diretor artístico Carlo Chatrian a renunciar, apesar das promessas de prolongar seu contrato.

Chatrian pode não ser um showman, mas com o seu jeito tranquilo, ele e a sua equipe escolheram um caminho curatorial aberto e artisticamente gratificante, mostrando novas direções no cinema mundial, desafiando estereótipos e ligando diferentes vertentes da produção cinematográfica.

Apesar das circunstâncias mais difíceis, todas fora do controle de Chatrian – a pandemia, as restrições financeiras e a deterioração do centro de festivais em torno da Potsdamer Platz – as edições anteriores sob sua orientação foram muito vivas, cheias de surpresas positivas e, apesar de um número menor de filmes exibidos, muito popular, a par dos tempos pré-pandemia.

Além disso, os filmes galardoados com os principais prêmios importantes do festival nos últimos quatro anos confirmam-se como filmes importantes, pois todos são aclamados pela crítica e exibidos em todo o mundo, quer em circuitos comerciais, quer em outros festivais importantes.”

***
Rui Martins é jornalista, escritor, ex-CBN e ex-Estadão, exilado durante a ditadura. Criador do primeiro movimento internacional dos emigrantes, Brasileirinhos Apátridas, que levou à recuperação da nacionalidade brasileira nata dos filhos dos emigrantes com a Emenda Constitucional 54/07. Escreveu Dinheiro sujo da corrupção, sobre as contas suíças de Maluf, e o primeiro livro sobre Roberto Carlos, A rebelião romântica da Jovem Guarda, em 1966. Foi colaborador do Pasquim. Estudou no IRFED, l’Institut International de Recherche et de Formation Éducation et Développement, fez mestrado no Institut Français de Presse, em Paris, e Direito na USP. Vive na Suíça, correspondente do Expresso de Lisboa, Correio do Brasil e RFI.