Monday, 17 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Conteúdo salva transmissão do milésimo Roda Vida com Lula

Primeiro: não se pode dizer um ‘a’, um reparo sequer ao time de jornalistas que participou do milésimo Roda Viva com o presidente da República. Sem ser chapa-branca ou casca-grossa, os entrevistadores questionaram Lula com assuntos incômodos, permitindo, em contrapartida, que as perguntas fossem respondidas até o fim. Dos 7 a 1 do Corinthians no Santos, à associação da Telemar com Gamecorp do filho do presidente, vieram à tona temas hipoteticamente espinhosos foram, como o ‘avião do Lula’ e a reforma do Palácio da Alvorada, foram colocados na pauta por conta do próprio entrevistado.

A prévia da entrevista na imprensa trouxe a público que Lula condicionara o encontro à abordagem de outros temas, e não apenas a crise política. O combinado foi cumprido, mas nem por isso as perguntas deixaram de aproximar o fósforo a temas explosivos. Lula não tirou da reta em nenhuma pergunta. Transmitiu sinceridade a maior parte do tempo, mas, em várias passagens, escorregou como robalo ensaboado. Como, por exemplo, na ‘providência’ encaminhada à chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, para homenagear Vlado Herzog no trigésimo aniversário da morte do jornalista no Doi-Codi.

O conteúdo do programa de mais de duas horas, de certa forma, compensou a horrorosa qualidade da imagem e do som transmitidos. Alguma tragédia de proporções incalculáveis deve ter acontecido com a produção técnica para explicar algumas tomadas em que a imagem ameaçou se desfazer na televisão. O som, abafado, provocou vários sustos durante os intervalos comerciais, quando áudio e vídeo voltaram ao padrão de qualidade das transmissões no Brasil.