Tuesday, 25 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

Ibope: público ‘responde a estímulos’ e ‘quadro é evolutivo’

Ao comentar a nota ‘Censura a pesquisa é ato de lesa-eleitor’, de 19/8, o leitor José Paulo Badaró sugeriu [ver abaixo] que eu procurasse o Ibope para que se manifestasse sobre a estranheza, dele e de outros leitores, sobre a discrepância de resultados em sondagens eleitorais recentes, realizadas com poucos dias de diferença. Foi o que fiz.

Acabo de receber da diretora executiva do Ibope, Marcia Cavalari Nunes, a seguinte resposta:

‘Esclarecemos que o IBOPE realizou duas pesquisas: a primeira realizada entre 13 e 17 de agosto, e divulgada pela revista Isto É (21/08):

Lula perde pontos, mas mantém maioria das intenções de voto para eleições
presidenciais de 2006. Pesquisa do IBOPE Opinião mostra que em eventual segundo turno entre José Serra e Lula, ambos ficam empatados com 41% das intenções de voto.

Outra entre os dia 18 e 22 de agosto, e divulgada pela TV Globo (23/08). Nesta Lula aparece com 35% e Serra com 44% das intenções de voto no segundo turno:

Lula e Serra aparecem empatados na simulação de intenção de votos no primeiro turno para Presidente da República. Pesquisa foi realizada pelo IBOPE Opinião entre os dias 18 e 22 de agosto

O que ocorre é que a opinião pública é dinâmica e responde aos estímulos que recebe, o quadro é evolutivo. A pesquisa divulgada pela TV Globo, por exemplo, não pegou o efeito, se é que houve algum, da coletiva do ministro Palocci. Se fizermos uma nova pesquisa agora poderemos encontrar outra situação. É interessante observar que em relação à avaliação do governo do presidente Lula, não há mudanças significativas entre as duas pesquisas, mas na intenção de voto para presidente da República, sim.

Esclarecemos ainda que a técnica/método utilizado foram os mesmos para as duas pesquisas, portanto, de fato ocorreu uma mudança da opinião pública nas declarações de intenção de voto para Presidente da República.’