Wednesday, 24 de April de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1284

Licenciosidade do celebrismo no O Estado


Um detalhe no meio da massa de informações das últimas semanas sobre o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, traz novamente a licenciosidade do jornalismo de celebridades com a vida alheia – sejam essas vidas de pessoas públicas ou não. No dia 14/06, a coluna Persona, O Estado de S.Paulo, trouxe a nota ‘Mudanças radicais?’ dizendo que ‘em Brasília corre o boato de que o ministro José Dirceu está em fase ruim não só no governo, mas também na vida pessoal. Estaria desembarcando não só da Casa Civil, como de seu casamento. Será verdade?’.


Dois dias depois, em resposta às suas perguntas, trouxe outra nota, desta vez com o título ‘Ministro indignado’, publicando o seguinte: ‘A assessoria do ministro José Dirceu mandou uma curta mensagem, na terça à noite, afirmando que o ministro estava indignado com as especulações e inverdades sobre sua vida pessoal publicadas pela coluna. Que, por sua vez, só transcreveu o que se fala em Brasília’.


Na toada das perguntas da coluna, cabem pelo menos mais duas: Os responsáveis pela coluna teriam preferência por uma longa mensagem desmentindo três linhas de texto da ‘notícia’? O que seria se se publicasse ‘tudo que se fala em Brasília’?