Friday, 14 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Promotor atribui leva-e-traz do interrogatório de Buratti a ectoplasma – e os jornais engolem

Uma das vertentes do noticiário de hoje – o cara-durismo dos promotores de Ribeirão Preto – oferece nova amostra de que a imprensa está engolindo qualquer coisa. Não importa o tamanho do absurdo que os repórteres ouvem e apuram, desde que se isentem das bobagens que reproduzem colocando-as entre aspas.

A pérola do dia está na coletiva promovida por três dos promotores que investigam irregularidades sobre negociatas com a coleta de lixo no interior de São Paulo e Minas Gerais. O leva-e-traz Sebastião Sérgio Silveira, aquele promotor que deixou a sala de interrogatório para atualizar os jornalistas sobre as denúncias contra Palocci, acompanhado por mais dois colegas, defendeu-se ontem das repreensões que lhe caíram sobre a cabeça, vindas de todos os lados – de Palocci ao ministro do Supremo, Gilmar Mendes; de deputados da oposição ao procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza.

Segundo traz O Estado de S.Paulo, na reportagem ‘Promotores prometem silêncio até fim do inquérito’, os promotores receberam ordem – eles traduziram como ‘recomendação’ – do procurador-geral de Justiça de São Paulo, Rodrigo Pinho, de manter o bico calado até o final das investigações.

Silveira, o leva-e-traz, continua, o jornal, ‘se irritou, ainda, com informações sobre suposto ‘entra e sai’ de promotores da sala onde ocorreu o depoimento. ‘Eu, que mais conheço os fatos, por que eu sairia?’’

Com essa frase, o promotor quis dizer que não foi ele quem entrou e saiu da sala para informar aos jornalistas, muito menos que, cioso de ser o promotor mais inteirado sobre as irregularidades, não poderia ter deixado a sala onde ocorria o interrogatório.

Em resumo, ele quis dizer que todas as pessoas que assistiram aos telejornais da última sexta-feira estão enganadas.

Ninguém perguntou: mas senhor promotor, se não foi Vossa Excelência quem entrou e saiu da sala, e se o senhor também não abandonaria o interrogatório, quem foi, então, que todo o país viu na televisão? Quem foi o responsável pelo tumulto no mercado financeiro? Seria um clone? Seu irmão gêmeo? Um ectoplasma?

Outra fala do mesmo Sebastião Sérgio Silveira que a reportagem do O Estado limita-se a meter entre aspas, sem querer saber o porquê, está na afirmação do promotor de que ‘foi uma surpresa’ o fato de Buratti ter citado o ministro Antonio Palocci.

É realmente surpreendente. O promotor deve ter se ausentado do planeta Terra nas últimas semanas, mas nenhum repórter quis saber por onde ele andou.