Monday, 17 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Publicação de comentários deixa de ser automática

A contragosto, resolvi mudar o sistema de publicação de comentários no Verbo Solto.


De agora em diante, passarão por uma leitura prévia – para que não sejam publicados aqueles que agridam as normas deste blog e do site Observatório da Imprensa, que o publica, e configurem delito pelo qual blog e site poderão ser processados como co-responsáveis.


A mudança se deve a uma minoria de leitores. Movidos pelo facciosismo político ou por emoções que não parecem ser capazes de controlar, eles se dedicam obsessivamente a enviar ofensas pessoais, afirmações caluniosas e ataques gratuitos a terceiros – muitas vezes com palavras e expressões também incompatíveis com este blog.


Manifestações desse gênero levam à sarjeta o debate sobre os assuntos de que me ocupo, coerente com o mote do Verbo Solto – ‘Idéias para trocar’.


A crítica, a diversidade de pontos de vista, o entrechoque de opiniões só fazem sentido em ambiente de tolerância recíproca e de acordo com padrões elementares de civilidade.


Não se pode, para começo de conversa, desqualificar aqueles de quem se discorda. Nem a instantaneidade com que a internet permite a difusão de fatos e idéias deve ser confundida com licença para agressões ‘em tempo real’.


Ainda assim, o sistema adotado desde a criação do Verbo Solto seria mantido se me fosse possível ler sempre os comentários assim que chegassem, ou minutos depois.


Nesse caso, as mensagens impróprias, por ofensivas, infamantes e grosseiras, as acusações sem fundamento – como se comprazem em fazer aqueles que precisam extravasar os seus rancores ou chamar a atenção para si – poderiam ser suprimidas com a devida rapidez, em benefício da grande maioria dos comentaristas que se exprimem não raro com vigor, mas também com respeito pelo espaço a que têm acesso e por quem desejam que os leiam.


Estes, infelizmente, serão afetados porque a triagem tampouco será imediata, embora pretenda fazê-la a intervalos de tempo os mais breves possíveis. De qualquer forma, só me resta contar com a compreensão dos leitores prejudicados por aqueles que não merecem estar em sua companhia.


De toda maneira, se a mudança se revelar contraproducente, darei o dito pelo não dito. Afinal, a única coisa imutável na vida são a morte e os impostos.