Friday, 12 de April de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1283

Reportagem da Istoé Dinheiro sobre Schincariol cai na malha da Polícia Federal


Ainda tratando de revistas, sobra lama sobre a credibilidade da Istoé Dinheiro com a divulgação de fitas, gravadas pela Polícia Federal, nas reportagens sobre a prisão dos dono da cervejariaSchincariol. A conversa entre o publicitário Luiz Lara, um dos donos da Lew, Lara — que também é uma das contratadas em licitação pelo governo federal — com Adriano Schincariol, principal executivo da cervejaria, ganhou espaço na Época Negócios da semana na Folha de S. Paulo. Lara e o Schincariol, uma semana antes do último Natal, falam sobre a compra de veículos de comunicação. ‘Vê esse negócio do Jornal da Band e da Record. Eu acho horrível gastar dinheiro com isso’, diz Lara, enfatizando a ‘necessidade de ter blindagem nesses dois veículos’.


Do outro lado, o dono da cervejaria, comandante do esquema que, segundo a Polícia Federal e a Receita, sonegou R$ 1,5 bilhão nos últimos cinco anos, passa para as revistas – e pergunta a Lara: ‘Precisa blindar as Istoé e Época, né?’. O outro responde ‘exatamente’ e, em seguida, começa a transmitir a estratégia para que a cervejaria ‘dê créditos’ imediatos para a Editora Três, que publica a Istoé e a Istoé Dinheiro. ‘Se você der R$ 500 mil, R$ 1 milhão na mão dele, o dinheiro que for, agora, nesta próxima semana, ele está com um problema de caíxa seriíssimo, é gravíssimo, você pode contar com ele no ano que vem…’.


Dia 23 de fevereiro passado, a Istoé Dinheiro trouxe a reportagem de capa ‘A virada da Schin’ com relato eloqüente da pujança da cervejaria — e nem menciona os problemas com o Fisco que a empresa tivera anteriormente.


O dono da Editora Três explicou a sincronia. Não nega a penúria mencionada pelo publicitário, e diz que a mesma Schicariol comprara antecipadamente espaços na Editora Globo, documentando que a cervejaria também havia inspirado reportagem na Época Negócios. Ao contrário da IstoÉ Dinheiro, as duas reportagens da Época Negócios não adulam a Schincariol. Pelo contrário, diz a revista.    


O publicitário Luiz Lara também se explica sobre a gravação da Policia Federal. À Folha, que traz reportagem mais completa do que a revista, em nota, explica que sua conversa com Adriano Schincariol, que se encontra preso, ‘tratou exclusivamente da elaboração de um plano de mídia absolutamente técnico, identificado pela agência em veículos da Editora Três’.