Friday, 21 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

Pandemia do novo coronavírus cria rara união entre jornais concorrentes na América Latina

(Foto: Reprodução Twitter)

A crise mundial da pandemia do novo coronavírus está espalhando uma onda rara de colaboração entre veículos concorrentes na América Latina. Durante a semana, publicações de pelo menos seis países da região publicaram capas idênticas com manchetes relacionadas ao combate ao coronavírus.

A inspiração veio da Espanha: no domingo, 15 de março, os principais jornais do país publicaram nas suas primeiras páginas uma campanha do Ministério da Saúde com a mensagem #EsteVirusLoParamosUnidos (“Este vírus pararemos unidos”).

Na quarta-feira, 18 de março, cinco jornais de Porto Rico compartilharam a mesma primeira página, com mensagem idêntica à dos jornais espanhóis, #EsteVirusLoParamosUnidos. Dez emissoras de rádio e TV da ilha também aderiram, divulgando o slogan durante sua programação.

A imprensa séria e tradicional tem sido o escudo para proteger o mundo de notícias falsas e rumores em um momento em que a humanidade precisa de informações precisas e oportunas para ajudar a conter a rápida disseminação do coronavírus,” disse a editora María Luisa Ferré Rangel, de El Nuevo Día.

No México, a iniciativa foi do jornal El Informador e reuniu mais de quarenta publicações, que estamparam nas suas edições da quinta-feira, 19, os slogans #ElCoronavirusNoPasa e #QuédateEnCasa (“O coronavírus não passa” e “Fique em casa”).

Já na Argentina, a Associação de Jornais (Adepa na sigla em espanhol) coordenou a ação que ocorreu na quinta-feira, 19 de março. A maioria dos jornais estampou o slogan “Al virus lo frenamos entre todos. Viralicemos la responsabilidad” (“Frearemos o vírus entre todos. Viralizemos a responsabilidade”).

“Diante do avanço global da pandemia e do impacto que está causando em nosso país, a mídia une suas vozes e suas ações em busca de uma mensagem unívoca e forte, para expressar junto aos cidadãos a necessidade de nos comprometermos na contenção do vírus e no cuidado de pessoas,” informou a Adepa em um comunicado publicado em seu site.

O mesmo ocorreu no Peru na sexta-feira, 20 de março. A campanha liderada pelo Conselho da Imprensa Peruana e por jornais do país quer incentivar os cidadãos a ficar em casa. “#YoMeQuedoEnCasa” (“Eu fico em casa”) é o que se lê nas primeiras páginas dos jornais.

Também na sexta, jornais de El Salvador dedicaram a primeira página a uma campanha de esperança em tempos de crise, com a mensagem “Juntos saldremos adelante El Salvador” (“Juntos sairemos na frente, El Salvador”).

O gerente de redação do jornal La Prensa Gráfica disse que a campanha é um esforço “para mostrar unidade diante da adversidade que hoje enfrentamos devido à pandemia de covid-19. […] Há momentos como este, de pôr de lado tudo isso que nos divide e fazer uma frente comum”.

No Paraguai, os principais jornais publicaram nas suas primeiras páginas a frase “La Garra Guaraní vencerá al Coronavírus” no domingo, 22. O jornal Crónica publicou o slogan em guarani, uma das línguas oficiais do país ao lado do espanhol: “Ñande pyapy mbarete ombotapykuéta coronavirus.”

Emissoras de TV da região também entraram na campanha de combate ao novo coronavírus. Um vídeo da Aliança Informativa Latino-Americana mostra jornalistas de quase todos os países do continente orientando o público a ficar em casa.

No Brasil, iniciativa regional antes de campanha nacional

No Brasil, enquanto a Associação Nacional de Jornais (ANJ) articulava uma ação semelhante para a segunda-feira, 23 de março, iniciativas estaduais ocorreram na sexta, 20, no Piauí, e no domingo, 22, no Maranhão e Paraná.

“A receptividade do público tem sido extraordinária. Quando colocamos as postagens das páginas no Facebook e no Instagram, as manifestações foram imediatas, com grande número de compartilhamentos e comentários estimulantes. Embora não busquemos aplauso, mas simplesmente colaborar, ajudar na conscientização sobre a enorme necessidade de isolamento social, ficamos felizes em saber que acertamos. Ser humilde e solidário é o mínimo que podemos fazer”, afirmou ao Centro Knight José Osmando, diretor de jornalismo do Grupo Meio Norte de Comunicação.

“A ideia surgiu no jornal Meio Norte. (…). Fizemos a arte aqui no jornal O Dia e compartilhamos com o jornal Meio Norte”, disse ao Centro Knight a editora-chefe de O Dia, Adriana Magalhães. “Mais do que nunca, precisamos sustentar o bom jornalismo. Somente esse jornalismo é capaz de manter a população bem informada e minimizar os problemas causados pelas fakes news. O jornalista está fazendo o seu papel. Nós, jornalistas, nos colocamos na linha de frente, para fazer o link entre a crise e a população.”

No domingo, 22, foi a vez de jornais dos estados brasileiros do Maranhão e do Paraná unificarem suas primeiras páginas com mensagens contra o coronavírus.

Na segunda, dia 23, dezenas de jornais brasileiros unificam suas capas para veicular uma campanha da Associação Nacional de Jornais (ANJ) de apoio ao combate ao coronavírus e à desinformação.

A mensagem do anúncio destaca a importância da informação e da responsabilidade de todos no enfrentamento da pandemia. Ao se unir em um esforço comum, os jornais também conclamam para a valorização da informação jornalística e criam uma hashtag unificada – #imprensacontraovirus – que indica os esforços dos meios de comunicação na luta coletiva contra o vírus.

“Em situações dramáticas como a que vivemos, informação precisa e contextualizada é um bem ainda mais essencial,” enfatiza o jornalista Marcelo Rech, presidente da ANJ. “A ação demonstra a unidade dos jornais brasileiros em torno de uma causa comum: servir a população com jornalismo de qualidade para, com a responsabilidade que o momento exige, enfrentarmos e vencermos a pandemia.”

Publicado originalmente no blog Jornalismo nas Américas.

***

Júlio Lubianco estudou jornalismo na Universidade Federal Fluminense (UFF), fez mestrado em mídia e comunicação na London School of Economics, é professor do curso de jornalismo da PUC-Rio e apresenta o podcast do BRIO, que discute jornalismo, carreira, mercado e tecnologia.