Monday, 15 de April de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1283

Contas falsas inundam o Twitter

No início do mês, Jim Vidmar comprou 1.000 contas falsas do Twitter de um vendedor online no Paquistão. Ele pagou US$ 58. Vidmar então as programou para “seguir” a conta no Twitter do cantor de rap Dave Murrell, que usa o nome artístico de Fyrare e paga Vidmar para aumentar a sua presença na rede social. As contas falsas de Vidmar também republicam os tweets de Murrell, amplificando sua voz no Twitter.

Murrell diz que às vezes compra anúncios no Twitter para dar mais peso ao seu perfil, “mas você tem mais resultado com o Jim”. Ele diz que muitos usuários do Twitter tentam fazer parecer que têm mais seguidores do que realmente têm. “Se você não recheia seus números, não está fazendo a coisa certa. É parte do jogo”, diz.

O trabalho de Vidmar joga uma luz sobre o mundo sombrio das contas falsas e robôs do Twitter, uma das maiores redes sociais do mundo. Rodeado por mais de dez computadores em sua casa, perto de Las Vegas, Vidmar vem comprando contas falsas do Twitter há seis anos. Hoje, ele diz que gerencia 10.000 robôs para cerca de 50 clientes, que o contrataram para obter mais popularidade e influência na rede social. As contas de Vidmar estão entre milhões de contas falsas no Twitter. Elas simulam a atividade de usuários da rede social: publicam e republicam tweets, enviam e respondem mensagens e seguem ou bloqueiam outras contas, entre outras ações.

Facebook suspendeu as contas

Alguns artistas pagam para ter seguidores falsos. Mas as contas falsas também podem ser usadas como ferramentas políticas. Em 2011, milhares de contas falsas atrapalharam manifestantes contra o governo russo no Twitter. As contas falsas pairam como uma nuvem negra sobre o Twitter Inc. na esteira de sua bem-sucedida abertura de capital. “O Twitter se tornou um lugar onde muitas pessoas vão para obter notícias”, diz Sherry Turkle, diretora da Iniciativa sobre a Tecnologia e o Indivíduo do MIT. “Se o que é tendência no Twitter está sendo falsificado por robôs, as pessoas precisam saber disso. Isso certamente vai minar a confiança.”

Contas falsas prosperam no Twitter em parte porque, ao contrário do Facebook, o Twitter não limita os usuários a uma única conta, ou os obriga a usar seus nomes reais. As condições de serviço do Twitter proíbem “a criação de contas em massa” e a compra ou venda de contas ou seguidores. O Twitter ajudou uma equipe de pesquisa a aplicar um filtro que, durante um tempo, bloqueou 95% das novas contas falsas. Um porta-voz do Twitter não quis revelar se a empresa continua usando a técnica dos pesquisadores para identificar e bloquear contas suspeitas. Embora admita que as falsificações sejam “um problema difícil”, o porta-voz disse: “Temos uma variedade de controles manuais e automatizados para detectar e suspender contas criadas exclusivamente para fins de spam.”

Vidmar diz que o Facebook suspendeu suas contas e ameaçou tomar medidas legais para impedir que ele exerça atividades semelhantes. O Twitter não o repreendeu, diz, embora tenha excluído várias contas que ele usava para seu negócio.

Mercado negro está florescendo

Em documentos apresentados às autoridades de mercado, o Twitter diz que acredita que as contas falsas representam menos de 5% dos seus 230 milhões de usuários ativos. Pesquisadores independentes acreditam que o número seja maior. Andrea Stroppa e Carlo De Micheli, pesquisadores italianos de segurança, dizem ter encontrado 20 milhões de contas falsas à venda no Twitter em meados do ano. Isso equivaleria a cerca de 9% dos usuários ativos mensais do Twitter. Os pesquisadores também encontraram software à venda que permite a produtores de spam criar um número ilimitado de contas falsas. O Twitter não quis comentar resultados específicos. Jason Ding, pesquisador da Barracuda Labs que estudou falsos seguidores no Twitter por mais de um ano, também acredita que o Twitter subestima a prevalência de contas falsas. Ele diz que é difícil para os usuários identificar quando uma conta é falsa.

Por 10 meses, em 2012 e 2013, pesquisadores da Universidade da Califórnia em Berkeley e da Universidade George Mason trabalharam com o Twitter para ajudar a identificar contas falsas e minimizar atividade de robôs. A equipe comprou contas falsas no mercado negro, identificando características comuns, e desenvolveu um filtro que conseguiu bloquear cerca de 95% delas. O sistema anterior do Twitter detectou só cerca de 8% de contas falsas, disseram os pesquisadores.

Em abril, o Twitter e os pesquisadores aplicaram o filtro. Vidmar diz que a maioria de suas contas falsas foi excluída, e ele não podia criar novas. “Eles limparam a casa”, diz. Mas Vidmar e outros dizem que o mercado subterrâneo se adaptou rapidamente. O novo sistema sinalizava contas incompletas, sem foto e com pouca atividade. Em resposta, Vidmar diz que os fornecedores agora preenchem mais detalhes da conta, adicionam imagens e publicam tweets antes de vender as contas. Como resultado, o mercado negro está novamente florescendo. “Eu poderia comprar contas falsas de cerca de 20 diferentes fontes hoje”, diz Vidmar.

******

Jeff Elder, do Wall Street Journal