Thursday, 13 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1291

Depois dos sítios de buscas, os sítios de dúvidas

É possível encontrar respostas para qualquer pergunta na internet. Quando os sítios de buscas, onde o internauta faz sua própria pesquisa, falharem nos resultados, pode-se apelar para os sítios de perguntas e respostas, onde pessoas de carne e osso realizam as pesquisas de outros. Esta é a idéia do Google Answers, que mantém um time de centenas de ‘respondedores’ de perguntas de internautas. O processo é simples: entrar no sítio, enviar sua pergunta e, junto com ela, uma oferta, que pode variar de US$ 2,50 a US$ 200. Os ‘respondedores’ cadastrados escolhem as questões que se sentem à vontade para responder ou as mais rentáveis e que valem o tempo de uma pesquisa refinada, e enviam a resposta para o internauta. O Google fica com 25% do valor da transação.

As perguntas vão de dúvidas científicas a problemas pessoais. E não é incomum que os internautas paguem a taxa máxima para chamar a atenção dos pesquisadores. Um calouro de uma universidade em Lewiston, no Maine, pagou US$ 200 para pedir ajuda para arrumar uma vaga para o seu carro em um local próximo ao campus. Ficou satisfeito ao obter, 72 horas depois, o contato de uma mulher que aluga vagas na região. As perguntas ficam ativas por 30 dias, e as pessoas que as fizeram podem aumentar seu valor caso ninguém se interesse em respondê-las.

É preciso ter permissão do sítio para ser um ‘respondedor’ – como se fosse um segundo emprego. O Google não promete que os pesquisadores tenham algum talento particular a não ser a habilidade de encontrar respostas rapidamente na internet.

Outros sítios oferecem este mesmo serviço, mas gratuitamente – gorjetas são permitidas. No Wondir.com, qualquer pessoa pode responder às questões colocadas – que, segundo o executivo-chefe do sítio, Matthew Koll, chegam a 10 mil por dia; 40% são respondidas em 10 minutos. Como qualquer um pode fornecer respostas, ‘ninguém é visto como um especialista’, explica Michelle Hardenbrook, moderadora do sítio. Isso significa que ‘qualquer pessoa pode responder qualquer questão mesmo se não tiver idéia do que estiver escrevendo ou mesmo que a informação seja completamente errada’. Ou seja: cuidado.

Koll diz que as pessoas perdem o tempo respondendo a questões no Wondir por três razões: algumas se sentem bem ajudando os outros, outras têm uma paixão por determinados assuntos e gostam de falar sobre eles, e há aquelas que acham que podem lucrar com a troca. Um professor particular de matemática pode resolver um problema e, ao mesmo tempo, oferecer seus serviços. A prática não é proibida, mas Koll afirma que o sítio pede para que todos joguem aberto.

A internet é, cada vez mais, uma mina de ouro. Alguma dúvida? Visite o Google Answers. Informações de Peter Wayner [The New York Times, 22/9/05].