Thursday, 13 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1291

Nelson de Sá

‘Cid Moreira, na escalada do ‘Fantástico’:

– Severino diz que as provas contra ele são falsas.

Foi na entrevista coletiva, à tarde, ao vivo nos canais de notícias e rádios. De bate-pronto, o blogueiro pefelista Cesar Maia passou a questionar a contraprova do presidente da Câmara:

– O suposto perito em ‘documentoscopia’ é médico legista… Atua em parceria com seu polêmico advogado…

Ainda assim, segundo o ‘Fantástico’, a história ‘virou briga de laudos’. E até ACM Neto apareceu dizendo:

– É preciso que a corregedoria indique um nome, nem de um nem de outro lado, e aí sim a gente forme juízo se o documento é falso ou não.

De volta à escalada, ‘Severino diz que não renuncia’. Na ironia do blog de Fernando Rodrigues, ele ‘custa a morrer’.

Com a primeira prova envolvida na ‘briga de laudos’ e sem garantia de que a segunda -o cheque- vai aparecer tão cedo, já se prevêem três meses de processo até a cassação.

E Claudio Weber Abramo, em seu blog, já começou a reclamar da coletiva:

– Seria de esperar que a imprensa tivesse tomado providências para entender mais de licitação. Mas, não.

Na Globo News, rádio Jovem Pan e demais:

– De manhã, Severino se reuniu com o coordenador Jacques Wagner. E na coletiva explicou que tem apoio do governo porque o partido é da base.

Wagner afirmou depois, no ‘Fantástico’, que foi chamado por Severino, não o contrário. E que ‘não vai interferir’.

Mas no dia anterior, no ‘Jornal Nacional’, nem palavra de Lula. ‘O presidente não comentou a situação’ e hoje embarca para a Guatemala.

Para Cesar Maia, ‘a permanência de Severino é útil a Lula porque mantém a crise no Congresso’. Para Kennedy Alencar, na Folha Online:

– Se o presidente se sente amarrado para atuar numa questão do Poder Legislativo, o PT não tem motivo para ficar em cima do muro…

A oposição faz reunião amanhã ‘para definir estratégia diante da decisão do presidente da Câmara de permanecer’, segundo o Globo Online:

– O envio ao Conselho de Ética já não é consenso. Setores do PFL e PSDB ponderam.

Sobre o boicote ao plenário, nas sessões a serem presididas por Severino, mais do blogueiro pefelista, sempre ele:

– Se líderes da oposição obstruírem em função de Severino, ficarão com a marca de proteger Roberto Jefferson. Decisão difícil… a ser meditada.

NA CADEIA

Maluf chega cercado à PF, do ‘Fantástico’ ao ‘Jornal Nacional’

O tom do ‘Jornal da Globo’, sexta, ao cobrir a chegada de Maluf à Polícia Federal, já indicou o que estava por vir:

– Visivelmente abatido, uma figura completamente diferente do que se acostumou a ver. Com uma pequena mala, pela primeira vez ele não respondeu aos jornalistas.

O tom se tornou ainda mais pesado no dia seguinte. Abrindo a escalada do ‘JN’, Alexandre Garcia:

– Pai e filho juntos na cadeia.

Abrindo a primeira reportagem, ‘Maluf tem um novo endereço: uma cela na polícia’. E tome cenas do ex-prefeito sendo empurrado ao chegar, depois escoltado com ‘tratamento de preso comum’ etc.

Daí para a ‘operação’ com o filho, Flávio, que ‘César Tralli acompanhou com exclusividade’. Ele mesmo narrou em tempo real a cena do ‘helicóptero dos Maluf’; o pedido para ‘ir ao toalete’, só aceito com ‘escolta’; daí para a ‘surpresa’ das algemas. E o filho:

– Não é o que combinamos, doutor, não é o que combinamos. E a filmagem aí atrás?

Era a câmera do repórter, que prosseguiu com a narração sobre as imagens, até encerrar:

– Num canto, antes de entrar na cela que dividiria com o pai, telefonou para a mulher. E chorou.

Ontem, mais do mesmo. À tarde, a Globo News falava em ‘prisão VIP’ e a Globo descrevia:

– Maluf e o filho estão presos numa espécie de apartamento, com dois quartos, sala com TV, telefone…

Daí para o ‘Fantástico’, com o repórter e Cid Moreira dividindo a locução retumbante dos cincos anos da ‘investigação que levou Maluf para a cadeia’.

Registre-se que não foi só a Globo. Sites falavam em ‘mordomia’ e blogs em ‘fim do quibe’. E a Band News ironizava, em sua barra de informações:

– Paulo Maluf ganha torrada, mel, adoçante, suco, quibe e coalhada.’



FSP CONTESTADA
Painel do Leitor, FSP

‘Ex-presidentes’, copyright Folha de S. Paulo

’11/09/05

‘Impressionante o volume de opiniões e impressões que o ex-presidente FHC consegue divulgar via Folha. Quem não conhece acha que se trata de um estadista que saiu do governo com aprovação excelente, com um IDH muito melhor do que o atual ou que o país estava em situação financeira invejável. E nenhuma denúncia de corrupção, é claro. Caso fosse prática corrente escutar ex-presidentes, teríamos também as opiniões de Sarney e Itamar, o que não ocorre.’ Sergio Pereira Amzalak (Belo Horizonte, MG)



10/09/05

Uniformes

‘A opinião esclarecida de Demétrio Magnoli (‘A mensagem atrás do anúncio’, Opinião, 8/9) não deixa dúvidas quanto ao papel do Estado na questão dos uniformes escolares. Contrapondo-me à opinião da senhora Barbara Gancia na nota ‘Chega de gastança’ (Cotidiano, 9/9), penso ser oportuno lembrar que os fins não justificam os meios. Seria o mesmo que pretender que os uniformes das polícias ou o do Exército estampassem patrocinadores.’ Humberto Mezzadri (Curitiba, PR)

TV

‘A TV Cultura sempre deu um show de transmissão televisiva nos desfiles cívicos do 7 de Setembro, mostrando as paradas de São Paulo e de Brasília. Neste ano, porém, não houve a transmissão. E, por ser uma TV pública e de cunho educacional, a emissora falhou. Por falta de visão administrativa, milhares de telespectadores paulistanos ficaram sem as imagens dessa festa comemorativa. A saída foi acompanhar fla- shes repentinos em outras redes de TV. A TV Cultura possui uma das poucas programações de qualidade da TV brasileira -embora já tenha sido melhor. O enfraquecimento dessa emissora devido a políticas governamentais tende a fortalecer ainda mais o culto à irracionalidade das programações normais da TV comum. Salvem a Cultura!’ Pedro Valentim (Bauru, SP)’



ZH DE CARA NOVA
Svendla Chaves

‘Veículos da RBS inovam visual’, copyright Comunique-se (www.comuniquese.com.br), 12/09/05

‘O jornal Zero Hora estreou nesta segunda-feira (12/09) novo projeto gráfico, resultado de 14 meses de estudos e testes. Utilizando como referência periódicos hispânicos e ingleses, o novo visual é marcado pela valorização das cores e imagens no primeiro caderno do veículo. Segundo o diretor de Redação, Marcelo Rech, também serão feitas mudanças nos outros jornais da rede: ‘Até final de outubro devemos reformular também o Diário Catarinense’.

Além do colorido, que prioriza os tons lavanda e o vermelho terroso, o jornal também alterou a tipografia e os estilos dos recursos gráficos. As imagens terão predominância na parte superior das páginas, aumentando a diferenciação do conteúdo comercial.

‘Zero Hora é case nacional por utilizar modulação em suas páginas. Temos cinco colunas e oito módulos de quatro centímetros. Este projeto, que já é muito bem aproveitado pelo comercial, será valorizado também pela redação. Nos permitirá maior padronização e aproveitamento da página’, afirma Luiz Adolfo Lino de Souza, editor executivo de Arte, que comandou o processo de mudança ao lado de Marcelo Rech. A última alteração no planejamento gráfico do jornal foi feita em 2001.

Novos cenários na TV

Os telejornais do grupo RBS também tiveram seu aspecto renovado no início deste mês. Vinhetas, cenários e trilha sonora de programas como Bom Dia Rio Grande, Jornal do Almoço e RBS Notícias foram modernizados, seguindo uma tendência que, conforme a RBS, será aplicada em todas as emissoras afiliadas da Rede Globo.

A intenção é criar maior identificação do público com os programas jornalísticos, por meio da utilização de iluminação diferenciada e imagens locais nos cenários. As trilhas sonoras ganharam um ar contemporâneo, com releituras criadas por Jean Presser. A estrutura de cenários tem coordenação de André Armani e as vinhetas foram produzidas por Celso Júnior e pela equipe de arte da RBS TV.’