Monday, 17 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Ronaldo D’Ercole


‘As empresas nacionais de TV e rádio terão isenção de tributos para importar os equipamentos necessários à implantação do sistema digital no país, afirmou ontem o ministro das Comunicações, Hélio Costa. Ele se reuniu com os dirigentes das principais empresas do setor na sede da Associação das Emissoras de Rádio e TV de São Paulo (Aesp).


Costa disse ter tratado do assunto semana passada com o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, que se comprometeu a encaminhar o processo à Câmara de Comércio Exterior (Camex). O órgão definirá as condições do benefício tributário.


– O ministro comprometeu-se a apresentar medida regulamentando as isenções, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva está de acordo – disse Costa. – (A implementação dessas isenções) depende agora de sentarmos com as empresas e elas decidirem quando querem iniciar as importações.


Segundo Costa, a suspensão das tarifas de importação valerá por um período predeterminado, entre seis e oito meses:


– Depois disso, ou se utiliza produto nacional, ou então quem importar pagará os impostos normais.


Costa disse que a definição do sistema de TV digital, inclusive regulamentação e modelo de negócios, estará concluída até 31 de dezembro. Já o padrão tecnológico será definido até 10 de fevereiro.


– Tanto o modelo tecnológico como a definição do sistema e da regulamentação serão exclusivos da indústria.’



FANTÁSTICO NAS BANCAS


Daniel Castro


‘‘Fantástico’ vira revista vendida em banca’, copyright Folha de S. Paulo, 16/09/05


‘Lançado há 32 anos como uma revista semanal eletrônica, o ‘Fantástico’ vai virar uma revista de papel vendida em banca. Em 6 de novembro, sai o primeiro número do ‘Almanaque Fantástico’, com 20 ‘grandes reportagens’, em 200 páginas, escritas pelos mesmos jornalistas que fazem o programa da Globo. A tiragem será de 200 mil exemplares.


O primeiro ‘Almanaque Fantástico’ será comemorativo dos 40 anos da Globo (e dos 32 do programa, completados no mês passado). A emissora diz que a revista sairá sempre em ‘ocasiões especiais’. Para 2006, a Editora Globo planeja dois números dela.


Os textos do ‘Almanaque’ trarão temas abordados pelo programa, mas serão inéditos. A fórmula será a mesma do programa de TV, com ‘pauta extremamente variada e exuberância visual’. Além das reportagens, trará 30 páginas de notas curtas, sobre assuntos como economia e cultura.


Já estão confirmadas reportagens assinadas por Pedro Bial (sobre a Alemanha), Edney Silvestre (sobre os traumas dos repórteres que cobriram os atentados de 11 de setembro de 2001), William Waack, Silio Boccanera e Geneton Moraes Neto (que dividirá a chefia da publicação com dois editores convidados, Sérgio Rodrigues e Paulo Polzonoff).


A Globo fará um ‘cross media’: colocará no site do ‘Fantástico’ vídeos que ‘aprofundarão os temas tratados pela revista’.


OUTRO CANAL


Mudança 1 O canal pago Telecine Classic, de filmes clássicos, será extinto em novembro. Será substituído pelo Telecine Cult, que adotará os clássicos e exibirá também raridades e obras-primas de atores e diretores renomados, não só americanos mas também europeus, e de vários gêneros.


Mudança 2 Já o Telecine Emotion será reformulado. Cederá cults mais recentes para o Telecine Cult e ficará totalmente dedicado aos grandes sucessos de Hollywood (exceto os de ação).


Oscar O ‘Casseta & Planeta’ deveria ter sido na quarta-feira nesta semana, excepcionalmente, para que Maria Paula pudesse repetir, assim que terminasse ‘América’, a cena de Sol (Deborah Secco), chegando a Vila Isabel, com apenas a roupa do corpo, olhar torto, desolada, inconsolável. Tão dramático que parecia cômico.


Apertado Por um décimo de ponto, o ‘Jornal da Band’ venceu o ‘SBT Brasil’ anteontem durante todo o tempo em que ficaram no ar simultaneamente. Das 19h20 às 20h, a Band marcou 6,1, e o SBT, 6. E o ‘Brasil Urgente’, com Roberto Jefferson, bateu a Record.


Acertou Adriane Galisteu dobrou sua audiência no SBT ao trocar um programa diário vespertino por um semanal noturno. Pela terceira semana, o ‘Charme’ deu dez pontos.’



TV RECORD


Keila Jimenez


‘Record quer R$ 100 milhões do Pan ‘, copyright O Estado de S. Paulo, 16/09/05


‘A Record já está olho no faturamento que os jogos Pan-Americanos de 2007 podem lhe render : R$ 100 milhões. Apesar de estar dividindo o bolo da transmissão com outras emissoras – Band e Globo estão no negócio -, a rede já começou a comercializar espaços publicitários para o Pan no Rio e tem como meta o faturamento desse montante.


‘Esse faturamento será possível porque nós comercializaremos não simplesmente um projeto de patrocínio e sim um projeto de comunicação em que o patrocinador terá visibilidade de 2 anos’, fala o superintendente Comercial da Record, Walter Zagari, vendendo seu peixe.


A Record já colocou à venda 5 cotas de patrocínio nacional do Pan, a R$ 24,8 milhões cada uma. ‘Já vendemos uma para a Bombril e devemos fechar com mais um anunciante até o final do ano’, fala Zagari.


Há um mês, a emissora colocou no ar um dos produtos ligados ao Pan: programetes diários sobre o evento comandados por Álvaro José. Os programetes terão temas como: Pan, a Cara do Brasil, Quem é Quem no Pan, Heróis do Pan, Brasileiro de Ouro e Mulheres do Brasil.


Além dessa visibilidade em atrações e boletins, o plano comercial da Record promete ao patrocinador exposição na cobertura de 42 eventos ao vivo do Pan. Para acompanhar a competição de perto, a Record vai montar no Rio, sede do evento, uma central de jornalismo que vai gerar diariamente imagens e informações para todo o País. Atualmente as imagens geradas em rede nacional da Record partem da sede da TV, em São Paulo.’



TV DO NETINHO


Laura Mattos


‘Netinho pedirá a Oprah apoio a sua nova TV ‘, copyright Folha de S. Paulo, 16/09/05


‘O pagodeiro e empresário Netinho de Paula viaja hoje aos Estados Unidos a fim de traçar parcerias para o canal que lançará em novembro. Ele arma um encontro com a apresentadora Oprah Winfrey (no ar no Brasil pelo GNT), militante da comunidade negra. O objetivo é pedir à celebridade mais poderosa do mundo (segundo a revista ‘Forbes’) apoio à TV da Gente, cujo propósito é abrir espaço a afrodescendentes.


Ele disse à Folha que tentará fazer com que Oprah grave um depoimento para a estréia da emissora, em 20/11, Dia Nacional da Consciência Negra.


Nos EUA, terá também reunião na BET (Black Entertainment Television), voltada à comunidade negra, para negociar troca de programação.


Reconhecido por sua militância nessa área, Netinho é apresentador do ‘Domingo da Gente’ e idealizador do bem-sucedido seriado ‘Turma do Gueto’ (ambos da Record).


Tentou emplacar sitcom (série cômica) sobre uma família negra e de periferia na Record e Rede TV!. ‘Sempre ouvi que não haveria interesse do mercado publicitário. Meu programa e a nova emissora provam que isso não é verdade’, diz.


Afirma ter desistido de tentar mais espaço nas redes. ‘Na teledramaturgia, vejo a mesma vergonha de sempre. Quando foi ao ar ‘A Próxima Vítima’ [Globo, 95], ficamos felizes por ver uma família negra na TV. Depois, só em ‘Da Cor do Pecado’ [a primeira com protagonista negra da Globo, de 2004]. Comemoramos de nove em nove anos. Não suportamos mais esses ‘calmantes’.’


A atriz Zezé Motta, fundadora da ONG Cidan (Centro de Informação e Documentação do Artista Negro), recebe a notícia da TV da Gente com ‘emoção’. ‘É uma vitória, prova de que não devemos esmorecer diante das dificuldades. A mídia melhorou desde que comecei a atuar, há 36 anos, mas nosso espaço ainda é restrito.’


O cineasta Joel Zito Araújo, que poderá dirigir uma minissérie para o canal, espera que Netinho ‘emplaque a TV’. Ele é autor do livro e documentário ‘A Negação do Brasil’, que denuncia a reduzida participação de negros nas telenovelas. ‘Precisamos de ações inovadoras, que quebrem tabus e elevem a auto-estima dos negros.’


A atriz Ruth de Souza parabeniza Netinho e deseja sucesso ao canal, mas diz ter ‘receio’ da imagem de ‘TV de negros’. ‘Pode ser perigoso num Brasil mestiço, soar como segregação. Todos, brancos e negros, temos de trabalhar juntos.’


Segundo Netinho, a idéia não é criar uma ‘TV de negros’, mas que dê espaço a profissionais afrodescendentes atrás e diante das câmeras. Todas as raças, garante ele, poderão ter participação. ‘Não cometeremos o mesmo erro que vemos na TV brasileira há 55 anos.’


A TV terá como geradora um canal de Eusébio, no Ceará. De acordo com Netinho, há negociações com duas emissoras UHF de SP para retransmitir o canal. Tentará convencer TVs pagas a distribuírem o canal.


Seu sonho é ter cobertura nacional. Admite ser uma proposta ambiciosa, já que não é simples conseguir emissoras abertas. ‘Buscaremos prefeituras que já tenham concessão de TV e precisem de conteúdo.’


A sede ocupará instalações da extinta TV Manchete em SP. Netinho contratou 80 profissionais, entre eles Cinthya Raquel (ex-’Castelo Rá-Tim-Bum’), como apresentadora infantil, e Conceição Lourenço (ex-revista ‘Raça Brasil’), para a direção de jornalismo. Deverá dirigir um programa o cineasta Jeferson De, autor de manifesto do cinema negro.


O investimento inicial é de R$ 12 milhões (R$ 3 mi de investidores angolanos e o restante de Netinho e seus parceiros comerciais). Haverá uma sitcom (série cômica), ‘Jornal Feliz’, sobre uma família de baixa renda e, se a Record concordar, reprise da ‘Turma do Gueto’.


Colaborou LÚCIA VALENTIM RODRIGUES, da Reportagem Local’