Monday, 17 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Silvio Navarro e Luiz Francisco


‘Dirceu critica CPIs, mídia e diz ser ‘vítima’’, copyright Folha de S. Paulo, 28/9/05


‘Em um depoimento marcado pelo tom ofensivo e por críticas às CPIs dos Correios e do Mensalão, e à mídia, o ex-ministro José Dirceu (PT-SP) afirmou ontem no Conselho de Ética da Câmara que ‘vai se defender sozinho’, ‘não pedirá nada nem ao seu partido nem ao presidente Lula’ e que se considera ‘a principal vítima’ de um processo político voltado para as eleições de 2006.


Dirceu voltou ao Conselho quase dois meses após o embate com o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), autor das denúncias do suposto mensalão. Ontem, entretanto, foi ouvido na condição de acusado em um processo que poderá culminar na cassação do seu mandato por quebra do decoro parlamentar. O depoimento durou cinco horas e meia.


‘Volto ao Conselho de Ética com a mesma serenidade e consciência tranqüila, cada vez mais convencido da minha inocência e cada vez mais convencido que estamos vivendo um processo político no país, que envolve a disputa pelo poder e a sucessão de 2006’, disse ao iniciar sua fala.


O ex-chefe da Casa Civil iniciou sua defesa com um discurso de pouco mais de 30 minutos no qual repetiu várias vezes ‘não haver provas documentais’ -tampouco ser réu confesso- que o vinculem ao escândalo do mensalão. Disse que se defenderá sozinho: ‘Não vou pedir nada nem ao meu partido nem ao presidente Lula, vou me defender sozinho’.


Outro ponto da defesa do petista foi que o processo contra ele, de autoria do PTB, deveria ter sido interrompido uma vez que o partido pediu a retirada da representação. O pedido de retirada do processo feito pelo PTB foi negado pelo Conselho de Ética.


Ontem, Dirceu recorreu à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) contra a decisão do Conselho e prometeu ‘recorrer aos tribunais do país’ caso a comissão também rejeite sua solicitação. No ofício à CCJ, Dirceu classifica a decisão do Conselho como ‘uma afronta à norma regimental’.


‘O PTB retirou [o processo], não é pouca coisa. Recorri à CCJ da decisão soberana do Conselho de Ética e vou recorrer aos tribunais do país, porque, se quem representa, depois retira, isso primeiro tem um peso político extraordinário, a principal prova é a testemunhal’, disse.


Dirceu também reafirmou estar enfrentando ‘um julgamento político’ e que prova disso, segundo ele, ‘é o fato de o senador Jorge Bornhausen [presidente do PFL] ter dito que essa raça [PT] tinha de ser varrida do país’. ‘Na verdade, estou submetido a um linchamento público, do dia para a noite virei chefe de quadrilha, virei bandido’, afirmou.


‘Não vou aceitar ser condenado politicamente, porque mesmo na condenação política é preciso ter provas. Eu não quebrei o decoro parlamentar, nunca fiz nada que desonrasse essa Casa nem o governo’, disse.


Para o relator do processo no Conselho, Julio Delgado (PSB-MG), Dirceu ‘se defendeu bem, negou tudo e imputou toda a responsabilidade financeira’ ao ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares. ‘Agora ele responsabilizou Delúbio até mesmo no período anterior a ele assumir a Casa Civil’, disse Delgado.


Mídia


O ex-ministro acusou diversas vezes a imprensa de fazer uma cobertura ‘tendenciosa’ contra ele e de agir em um ‘golpe branco’ para desestabilizar o governo Lula. ‘Há em setores da mídia e da oposição uma tentativa de desestabilizar o governo e dar um golpe branco para que o presidente Lula não tente a reeleição, para que eu seja cassado.’


‘Não vou me calar, amedrontar, acovardar por causa dos editoriais de alguns jornais. Tenta-se, muitas vezes, no caso do noticiário tendencioso de alguns meios de comunicação.’


Ainda citando a mídia, disse que a imprensa ‘procura influenciar em quem ganha e quem perde’ nas eleições. ‘Eu não posso aceitar ser cassado porque tenho que ser cassado, ou para saciar uma dita opinião publica, ou para provar que alguém é culpado ou para saciar setores da mídia, que muitas vezes se comportam como partidos políticos, disputam o poder no país, procuram influenciar quem ganha ou perde no Brasil em termos de eleições parlamentares ou do Executivo.’


Dirceu criticou o relatório preliminar das CPIs, no qual seu nome figura como suposto envolvido no esquema do mensalão. Segundo ele, as CPIs se precipitaram ao listar nomes. ‘É inacreditável que as CPIs produziram um relatório […] que tem uma introdução que conclui que existe o ‘mensalão’ e conclui que se realizou um sistema de nomeações preparada para que os partidos levantassem recursos ilegalmente, seja para campanhas ou para comprar deputados, sem prova nenhuma, sem terminar as CPIs.’


Para o petista, é preciso aguardar as investigações do Ministério Público e a decisão da Justiça. ‘Aí nós podemos dizer que existiu corrupção no IRB [Instituto de Resseguros do Brasil] ou nos Correios e [sic] poder dizer quem é o responsável pela corrupção’, afirmou Dirceu.


Ele rebateu as denúncias de corrupção em estatais ou de envolvimento no esquema de saques das contas do publicitário Marcos Valério de Souza, apontado como o operador do suposto mensalão. Sempre que foi questionado sobre acordos entre o publicitário e o PT, disse que quem deveria responder era o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e que não exerceu influência nas decisões do partido após deixar a presidência da sigla para chefiar a Casa Civil.


Roberto Marques


Disse ter sido vítima também de um caso de ‘plantação de documentos’ para tentar associá-lo aos saques nas contas de Valério, segundo ele, por meio do amigo Roberto Marques. ‘O caso do senhor Roberto Marques é um caso de plantação de documentos não reconhecidos pela CPI, que não corresponde aos documentos oficiais. Não há saque, o saque foi realizado no mesmo dia, no mesmo valor por outro cidadão.’


Citou também denúncias de que Valério teria mediado um emprego para sua ex-mulher Maria Angela Saragoça e sobre investigações de desvio de recursos em estatais. ‘Não participei, não fui consultado nem procurado [sobre] a minha ex-mulher, não participo da vida pessoal, profissional, estou separado há mais de 15 anos’, disse. ‘E Furnas? Não participei, não sou parte e sou envolvido [sic] de ouvi dizer, porque ‘A’ falou para ‘B’ e e isso vale.’


Dirceu queixou-se que sua cassação é motivada pela sua biografia e militância na esquerda. ‘O que se está julgando, por mais que possa parecer falta de humildade ou de modéstia da minha parte, é a minha história, minha participação na história política do país e o projeto político que construímos, as esquerdas, os movimentos sociais e populares do Brasil, o governo do presidente Lula e a possibilidade de continuar no Brasil um projeto político como o nosso.’


Disse que ‘não aceita ser julgado por quem cometeu os mesmos erros no passado que [hoje] imputam ao PT’. ‘Quem tem de julgar é eleitor, em outubro do ano que vem.’


Em seguida, afirmou que ‘não vai se calar’ e se comparou aos ex-presidentes Juscelino Kubitschek e Tancredo Neves.


‘Juscelino terminou seu governo acusado de ter sido o político mais corrupto do Brasil. Tancredo quando foi indicado primeiro-ministro, contava-me um deputado que conviveu com ele, de certa maneira me confortando, era aplaudido nos restaurantes de Belo Horizonte. No começo de 1964, os gritos de corrupto e subversivo impediram que ele sentasse nos restaurantes’, disse o ex-chefe da Casa Civil. ‘Portanto, tenho suficiente experiência política, vivi já o suficiente para compreender o momento que estou vivendo e o que está acontecendo no Brasil. Mas vou lutar até o fim.’’


 


300 PICARETAS


Luiz Fernando Vianna


‘Paralamas dizem que música de protesto deve ficar de fora de shows’, copyright Folha de S. Paulo, 27/9/05


‘Autor de ‘Luiz Inácio (300 Picaretas)’, música de 1995 em que corroborava a afirmação do então oposicionista Luiz Inácio Lula da Silva de que havia 300 picaretas no Congresso Nacional, Herbert Vianna afirmou ontem que não planeja incluir a canção nos shows dos Paralamas do Sucesso.


‘Meu impulso de eventualmente tocá-la é muito mais pelo balanço, o peso da música, do que pela idéia de mensagem panfletária’, disse ele, em entrevista sobre o novo disco da banda, ‘Hoje’.


Segundo o trio, seria impossível interpretar a música neste momento sem que parecesse um protesto diante da crise que afeta o governo petista e o Congresso Nacional. Herbert prefere não condenar Lula.


‘Qualquer nome entrando numa estrutura de poder tão viciada e corrompida como a do Brasil dificilmente sairia coroado’, afirmou o músico.


Em seguida, tentou ser otimista: ‘Ter sido eleito um cara tão da base da estrutura social brasileira já tem, por si só, um encanto que faz projetar um futuro próximo de mais abertura, mais verdade, mais honestidade’.


Realidade


Por causa das seqüelas da queda de um ultraleve que sofreu no dia 4 de fevereiro de 2001, Herbert ainda tem dificuldade para concluir algumas frases.


Responde, no entanto, a tudo o que lhe é perguntado, contando sempre com a ajuda de Bi Ribeiro e João Barone, respectivamente o baixista e o baterista dos Paralamas do Sucesso.


‘Estamos passando por uma retomada da realidade. A eleição do Lula nos pôs na empolgação, e a gente esquece como o Brasil ainda tem estruturas arraigadas’, analisou Barone, rejeitando a idéia de impeachment.


‘Não adianta trocar de técnico. O negócio é administrar, deixar baixar o lodo. Tomara que, quando baixar, apareça uma orquídea bonita’, disse.


Além da força da letra, ‘Luiz Inácio (300 Picaretas)’ tornou-se marcante porque o então deputado Bonifácio de Andrada (PTB-MG) pediu, na época, a censura da música.


‘Eles ficaram ofendidos com a afirmação/ Que reflete na verdade o sentimento da nação/ É lobby, é conchavo, é propina e jetom/ Variações do mesmo tema sem sair do tom/ Brasília é uma ilha, eu falo porque eu sei/ Uma cidade que fabrica sua própria lei’, afirma a letra de Herbert.


‘O que a música diz ainda é fato, independentemente de o Lula estar do lado de cá ou do lado de lá’, disse Barone, ontem.’


 


CPI SEM ROUPA


O Estado de S. Paulo


‘Playboy começa a tirar a roupa da ‘musa’ das CPIs’, copyright O Estado de S. Paulo, 27/9/05


‘A revista Playboy começa a veicular, a partir de hoje, às vésperas do Dia da Secretária, campanha da agência Y&R para seduzir seus leitores com a nudez de Camila Amaral, musa das CPIs. O mote é ‘Por enquanto, você vai levar 20%’. Toda a nudez, só na edição de outubro.


Camila atuava na secretaria das CPIs, como assessora de imprensa da senadora Ideli Salvatti (PT-SC). Já a mulher do empresário Sebastião Buani, Diana, recebeu proposta da Sexy. Ela ganhou destaque ao dar apoio ao marido no episódio do pagamento de mensalinho a Severino Cavalcanti, que preferiu renunciar à presidência da Câmara.


Já o desejo da ex-secretária de Marcos Valério, Fernanda Karina, de aparecer nua em Playboy, está bem mais longe de ser realizado.’


 


TODA MÍDIA


Nelson de Sá


‘Pequena estatura’, copyright Folha de S. Paulo, 27/9/05


‘Carlos Nascimento, preocupado, abrindo a escalada do ‘Jornal da Band’:


– Candidatos do baixo clero que elegeram Severino negociam acordo para ficar com a presidência da Câmara.


E abrindo o ‘Jornal Nacional’:


– Aliados de Severino serão decisivos na eleição para a presidência da Câmara.


Para a apresentadora Fátima Bernardes, mais preocupada, no ‘Globo Notícia’ do fim da tarde, ‘a divisão dos grandes partidos aumenta a chance do chamado baixo clero na eleição’.


Avisa uma repórter:


– A polarização entre governo e oposição lembra o clima da eleição de fevereiro.


E vem aí Ciro Nogueira, ‘o herdeiro de Severino’, no dizer do ‘Globo Notícia’.


Longe dos telejornais, governo e oposição dão espetáculo de constranger espectador, tantos os boatos, o dia todo.


Blogs que até semanas atrás guardavam uma aparência noticiosa entregam o jogo, em campanha descontrolada.


Por canais de notícias, rádios e sites jornalísticos, em entrevistas de manhã à noite, Aldo Rebelo e José Thomaz Nonô se esforçam por confirmar as candidaturas de governo e oposição, torpedeadas pela boataria -aliás, de parte a parte.


E só Ciro Nogueira, que levou mulheres com camisetas de sua campanha aos corredores do Congresso e daí aos telejornais, era questionado por todo lado. Mas sorria no ‘JN’.



Em reportagem ontem, sobre ‘a escolha que vai determinar os 15 meses finais do mandato de Lula’, até o ‘Financial Times’ saiu falando do ‘low clergy’, baixo clero, que descreveu como ‘politicians of little stature’, políticos de pequena estatura.


A DEBANDADA


Na descrição do ‘JN’, é uma ‘debandada de fundadores do partido’. A Folha Online fez a mesma avaliação, bem como o ‘Jornal da Record’. Cesar Maia postou que ‘o PT perde parte de seu DNA’. Nas contas da Globo, por enquanto:


– Três deputados anunciam que vão deixar o partido. Também vão sair os petistas históricos Plínio de Arruda Sampaio e Hélio Bicudo.


E não importa que, no outro destaque petista do dia, o esquerdista Raul Pont tenha praticamente confirmado o segundo turno. Da Jovem Pan:


– Pela primeira vez na história, a esquerda petista tem chance de presidir o partido.


Nem a chance nem as conversas de Lula com Vladimir Palmeira e outros, nada foi o bastante para conter parte da esquerda, de olho no prazo de filiação a outra legenda. De Emir Sader, em destaque no site Carta Maior, antes do anúncio de ontem:


– O PT sai fortalecido do primeiro turno das eleições internas. Diante de seus detratores e dos que, mesmo dentro da esquerda, decretaram prematuramente a sua morte. Triste papel terão feito alguns que eventualmente abandonem o PT neste momento.


‘Alguns’ ou ‘debandada’, eles já começaram.


FORMAL No ‘Bom Dia Brasil’, no velório de Apolônio de Carvalho, José Dirceu foi cumprimentar Lula, que olhou para baixo e ‘trocou apenas um aperto de mão formal’ com o ex-chefe da Casa Civil


JUÍZO FINAL


Foi até manchete do Globo Online, ‘CPI vai apurar fraude no Brasileirão’.


É que o relator Garibaldi Alves, da CPI dos Bingos, aquela que o comentarista Franklin Martins chama de CPI do Juízo Final por tratar de tudo e qualquer coisa, ‘informou que a comissão vai solicitar formalmente à Polícia Federal e ao Ministério Público os inquéritos da chamada máfia do apito’. Segundo o ‘JN’, a comissão já tem até pedido de depoimento do árbitro Edílson Pereira de Carvalho.’


 


***


‘Vade retro!’, copyright Folha de S. Paulo, 28/9/05


‘A sombra de Ciro, ‘o herdeiro de Severino’, assustou até o estreante blog de futebol de Juca Kfouri, no UOL. Lembrando a atuação do deputado na CPI da Nike, o blogueiro postou, em título:


– Vade retro!


Governo e oposição, Aldo Rebelo e José Thomaz Nonô, foram além. Chegaram ao final do dia, nas contas da Globo, com cinco partidos no apoio ao primeiro e seis, ao segundo.


Em especial, o PL deu seu apoio a Aldo e, segundo a Folha Online, ‘o convencimento passou pela liberação do orçamento do Ministério dos Transportes’.


Lula, no dizer da Globo, ‘está atuando diretamente nas negociações’, tendo conversado com o candidato do PTB, Luiz Fleury, pela manhã.


Lula que, registre-se, fez a festa dos telejornais e blogs, de Fátima Bernardes a Mário Kertesz, com uma ‘photo op’ vestindo quimono e a declaração:


– Estou pronto para a briga.


Encerrado o dia, o blog do Globo Online revisou sua avaliação do dia anterior:


– A nuvem mudou de lugar. Escrevi que as horas de Aldo estavam contadas. Mas o governo mergulhou fundo na candidatura. É um rolo compressor só visto na reeleição de FHC.


No ‘Jornal das Dez’, da Globo News, os dois comentaristas foram na mesma linha, chegando a insinuar que a coisa pode se ‘resolver no primeiro turno’:


– Está mais para Aldo… Aldo surge como o favorito…


De todo modo, segundo a reportagem, ‘as negociações vão durar toda a madrugada’.


E não é só o governo que se move contra ‘o herdeiro de Severino’. O rolo compressor tucano voltou à vida para levar o pefelista José Thomaz Nonô ao segundo turno.


Como noticiaram os sites Globo Online e Agência Estado, ‘o partido traz de volta à Câmara secretários estaduais e municipais’ de três Estados ou mais, para retomar a vaga de quem votaria em outros candidatos -de Michel Temer ao próprio Ciro Nogueira.


O blog do pefelista Cesar Maia saudou o esforço tucano e o que mais apareceu, ontem -da conversão pefelista de Joaquim Francisco ao esperado apoio de PPS, PDT e PV à ‘aliança em torno de Nonô’.


Para encerrar, segundo a Folha Online, ‘Nonô afirmou que não colocaria em votação um processo de impedimento do presidente Lula’. Do próprio:


– Não sou golpista.


ÀS JABUTICABAS


Enquanto avançava a candidatura do desafeto Aldo Rebelo, o deputado José Dirceu fazia sua defesa, enfim, ao vivo na Globo News e Band News.


Mas não nos sites e blogs -ainda que Cesar Maia tenha postado uma inusitada mensagem enviada pelo petista. Após quatro meses de depoimentos, poucos se dispõem ao ‘live blogging’, se é que assistem.


Aqui e ali, na cobertura, ecoaram enunciados como ‘Dirceu diz que não há provas’, na Globo, ou ‘Dirceu diz ser vítima de linchamento’, na Folha Online. E só.


Até os canais de notícias se cansaram, a certa altura, e cortaram para a entrevista coletiva dos candidatos petistas. Falaram longamente Tarso Genro e Raul Pont, também desafetos de Dirceu.


Mas o blog de Claudio Weber Abramo postou o que intitulou de ‘lembrete histórico’:


– Anuncia-se que alguns integrantes do PT deixam o partido. Que não se conclua demais a partir disso. Se a história ensina alguma coisa, é que a maioria dos descontentes permanecerá, por falta de alternativas viáveis. Não se desmonta (ou se ‘refunda’) um partido orgânico como o PT como quem vai às jabuticabas.


Abraçar o mundo


O Blog do Juca, há dois dias no ar, segue passo a passo o desen-rolar do escândalo do apito, no futebol. Abordando ontem a entrada da CPI dos Bingos na investigação, o blogueiro registrou a sua desconfiança dessas ‘CPIs que tentam abraçar o mundo’ -e voltou sua atenção para as ações do ‘tribunal’ da CBF.


Resgate moral


Outro blog recém-criado no UOL, Gol Brasil, do instituto de mesmo nome e dirigido por Soninha, anunciou uma representação contra a CBF, pelas indicações do árbitro Edílson Pereira de Carvalho. E já saiu cobrando a manifestação do Ministério Público, pelo ‘resgate da moralidade no futebol brasileiro!’.


LÁ E CÁ


O temor sul-americano, sobretudo brasileiro, com a presença militar norte-americana no Paraguai chegou aos principais sites ontem, em reportagem da agência Reuters, com enviado à cidade de Pilar.


Curiosamente, também ontem no site do ‘New York Times’, longa reportagem mostrava como a Embraer se tornou, ao lado de outras estrangeiras, uma das grandes fornecedoras dos militares norte-americanos.’


 


GLOBO PREMIADO


O Globo


‘Repórteres do GLOBO recebem prêmio no Rio’, copyright O Globo, 27/9/05


‘Repórteres do GLOBO venceram na categoria jornalismo impresso a segunda edição do Prêmio ABCR de Jornalismo. O prêmio é promovido pela Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias (ABCR). A reportagem ‘Calamidade’, dos jornalistas Adauri Antunes Barbosa, Bernardo de La Peña, Chico Oliveira, Heliana Frazão, Isabela Martin, Leticia Lins e Roberta Canetti, vencedora da categoria jornalismo impresso não-especializado, revela como a redução de investimentos públicos nos últimos anos levou as rodovias brasileiras a uma situação crítica, aumentando o número de mortes e a ação de assaltantes nas estradas.


A série que conquistou o prêmio na categoria TV, ‘Estradas e rodovias’, do ‘Jornal Nacional’, realizada pelos repórteres César Menezes, Francisco Tostes Walcacer, Paulo Renato Soares e Roberto Machado Filho, da TV Globo, mostra o trabalho de duas equipes que refizeram um trajeto que já havia sido percorrido há três anos e traçaram uma radiografia de duas estradas que cruzam o país.


Premiação foi realizada ontem no Riocentro


O trabalho ‘Retratos do Brasil’, do fotógrafo José Luis da Conceição, de ‘O Estado de S.Paulo’, mostra a dificuldade de motoristas e trabalhadores para trafegar pela rodovia Cuiabá-Santarém, a BR-163, que ainda não está completamente pavimentada.


A reportagem ‘A outra face da concessão’, de Simone Perez, foi a vencedora da categoria internet e publicada no site www.webdiário.com.br. Daniel Scola ganhou o prêmio pela reportagem ‘Rotas de fuga’, veiculada na Rádio Gaúcha.


Os melhores trabalhos nas seis categorias — jornalismo impresso especializado, jornalismo impresso não especializado, TV, rádio, internet e fotojornalismo — receberam prêmio no valor de R$ 10 mil cada. A cerimônia de entrega dos prêmios ocorreu ontem no Riocentro, durante o 4Congresso Brasileiro de Concessões de Rodovias.’


 


GAROTINHO vs GLOBO


O Globo


‘Garotinho perde ações contra O GLOBO’, copyright O Globo, 28/9/05


‘O secretário de Governo do Estado do Rio, Anthony Garotinho, perdeu na Justiça duas ações que movera contra O GLOBO pedindo direito de resposta por causa de reportagens do jornal sobre a decisão da juíza Denise Apolinária, que tornou ele e sua mulher, a governadora Rosinha Garotinho, inelegíveis por causa de irregularidades nas eleições em Campos no ano passado. Também um texto do colunista do GLOBO Zuenir Ventura sobre o mesmo tema foi usado por Garotinho para pedir na Justiça direito de resposta.


Reportagens apenas fizeram relatos, diz juiz


Segundo sentença do juiz Joel Pereira dos Santos, da 26 Vara Criminal do Rio de Janeiro, ‘não se vislumbra que a empresa requerida (Infoglobo Comunicações Ltda, que publica O GLOBO) haja atuado com abuso do direito de informação’. Garotinho tentara provar que as reportagens respectivamente intituladas ‘Abuso de poder deixa Garotinho e Rosinha inelegíveis até 2007’ e ‘Magistrados defendem juíza do TRE dos ataques de Garotinho’ atentaram contra sua honra.


O juiz entendeu que as reportagens sobre a tumultuada eleição em Campos veiculadas em maio deste ano ‘se restringiram a relatar ao público a decisão judicial, com os efeitos legais decorrentes, dentre eles o de inelegibilidade do requerente’. Com relação ao registro da manifestação de protesto de uma entidade de classe, a Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro, que apoiou a juíza contra ataques feitos por Garotinho à suposta motivação de Denise Apolinária ao torná-lo inelegível, o juiz Joel Pereira dos Santos afirmou que é ‘forçoso reconhecer que a publicação (…) se circunscreveu a reeditar o pensamento daquela classe profissional acerca do acontecimento’.


Já o juiz Jorge Luiz Le Cocq D’Oliveira, da 38 Vara Criminal, indeferiu o pedido de resposta exigido na Justiça por Garotinho sobre a coluna de Zuenir Ventura intitulada ‘Um casal abusado’.’