Tuesday, 21 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1288

Lançada a Rede Lusófona pela Qualidade da Informação

RLQI reúne pesquisadores e acadêmicos de 9 países lusófonos. (Foto: Paulo Amaral/Univ. Coimbra)

Pesquisadores e representantes profissionais do jornalismo lançaram oficialmente no último dia 14 a Rede Lusófona pela Qualidade da Informação (RLQI). A cerimônia que marcou a criação da rede se deu na Sala do Senado, nas dependências da Universidade de Coimbra, Portugal, e foi presidida pelo reitor João Gabriel Silva. Do Brasil, participaram do lançamento a Rede Nacional de Observatórios de Imprensa (Renoi) e o Observatório da Ética Jornalística (objETHOS), da Universidade Federal de Santa Catarina.

A rede lusófona vai desenvolver pesquisas, realizar eventos, promover mobilidade docente e discente, além de produzir material de referência para os nove países de língua portuguesa no mundo. Segundo Carlos Camponez, professor da Universidade de Coimbra e principal articulador da rede, a RLQI vai colocar a língua portuguesa a serviço da qualidade da informação, da democracia e do conhecimento. “Temos membros da Europa, África, Ásia e América, de todos os países da comunidade de língua portuguesa, e isso nos garante uma capilaridade única para investigar e conhecer melhor os contextos da informação nessas regiões”, avalia Rogério Christofoletti, do objETHOS.

Ainda fazem parte da Rede Lusófona pela Qualidade da Informação as universidades de Coimbra, Cabo Verde, Lisboa, Lusófona da Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, e de São José (Macau), além da Escola Superior de Jornalismo de Moçambique, Sindicato dos Jornalistas de Portugal, Ordem dos Jornalistas de Guiné-Bissau, Conselho de Imprensa de Timor Leste, Clube dos Jornalistas e Entidade Reguladora da Comunicação, de Portugal.
Os primeiros movimentos da RLQI são a elaboração de um projeto de pesquisa internacional e o lançamento do site do observatório lusófono da comunicação.