Friday, 12 de April de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1283

Anúncio da Nike enfurece religiosos

O novo anúncio da Nike causou polêmica no Reino Unido. A companhia de calçados e roupas esportivas abandonou Ronaldo, estrela inicial de sua campanha, e aposta agora no jogador britânico Wayne Rooney. Há sério risco, entretanto, de que a nova abordagem publicitária tenha saído pela culatra.


Na peça, Rooney aparece com os braços abertos e punhos cerrados, coberto de tinta branca e vermelha, celebrando um gol. A tinta forma uma cruz em seu corpo. O vermelho lembra sangue. A cena toda lembra… a crucificação de Cristo. A provocação religiosa, intencional ou não, está lá.


Grupos religiosos e Membros do Parlamento criticaram a imagem, classificada de ofensiva e de mau-gosto. Cinco pessoas reclamaram da peça à Advertising Standards Authority sobre o desrespeito religioso. Parece pouco, mas é o suficiente para banir a campanha caso o órgão decida que ela causou ofensas sérias.


Falem de mim


Se tem o objetivo de chocar e chamar a atenção para a marca aproveitando a Copa do Mundo, a Nike parece ter conseguido chegar onde queria: gerou debate sobre o anúncio e, desta forma, sobre ela própria. O britânico Daily Mail dedicou três páginas à polêmica nesta quarta-feira (21/6), criticando a empresa e o jogador. Ainda assim, vale a máxima do ‘falem mal, mas falem de mim’.


No Guardian [21/6/06], Stephen Brook analisa a situação por outro ângulo. Citando as ‘crises’ com Ronaldo – além das bolhas no pé, a má-fase do craque brasileiro dentro de campo –, o jornalista diz que não há este tipo de problema com Rooney. ‘E com a população britânica já o tratando como um deus, grande parte do público-alvo da Nike irá achar o anúncio inteligente e apropriado’, completa.