Saturday, 18 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1288

Relações de reciprocidade

A partir das modificações e transformações na esfera política, observa-se que cada vez mais ela necessita da mídia para se promover e que, de fato, a política, nesta etapa atual, passa a ser conteúdo da mídia, que percebe no entretenimento a melhor forma de se conquistar o voto do eleitor. A teatralização de forma espetacular se torna uma característica crescente a partir dessa nova configuração instituída no campo político, até porque, como afirma Balandier (1982), a teatrocracia move todas as formas de arranjos da sociedade contemporânea, principalmente aquelas em que o poder está em jogo; e no campo político isso ganha uma maior ênfase porque a conquista do poder é o fator de maior interesse entre os agentes envolvidos no processo.

Nesse jogo de poder, a persuasão vem atrelada ao espetáculo político por suas diversas maneiras de encantar a grande massa. A mídia, por sua vez, passa a ser o instrumento mais eficaz, dentro da sociedade, no qual o campo político se insere para que se construa a racionalidade do sistema produtivo.

Utilizando-se de diversas formas e meios comunicativos, é no palco midiático que a espetacularização política ganha sua maior ênfase e obtém maior proporção. O HGPE (Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral), que é veiculado nas plataformas do rádio e da televisão, se torna o palco principal para a divulgação dos personagens políticos que se candidatam aos seus respectivos cargos, pois como afirma Shwartezemberg (1978, p. 9) “a política, outrora, eram ideias. Hoje são as pessoas, ou melhor, personagens. Pois cada dirigente parece escolher um emprego e desempenhar um papel. Como num espetáculo”.

A atenção do público

Essa encenação contribui para que o espetáculo obtenha proporções maiores, pelo fato de tais personagens terem uma aceitação maior do público, pois o mesmo se identifica e se encontra nele. Um bom exemplo é a eleição do Tiririca para deputado federal pelo estado de São Paulo. Quantos nordestinos não se identificaram com ele pelo fato de terem tido a mesma batalha para conseguir uma vida melhor, migrando de suas cidades para os grandes centros do Sul, e encontram nele uma voz que os represente no Congresso Nacional (mesmo com tanto preconceito e crítica) pelo simples fato de Tiririca ter tido a mesma experiência de vida deles?

Esses meios comunicativos (rádio e televisão), por serem acessíveis a todas as classes da sociedade, estando assim mais presentes no cotidiano, e por passarem mais credibilidade, ganham mais atenção do público e têm a possibilidade de serem aceitos como sistemas de informação sobre a política. O HGPE veiculado na televisão tem um maior respaldo por proporcionar mais impacto ao espectador, por estar mais recheado de recursos que captam a sua atenção.

******

Rodolpho Raphael de Oliveira Santos é jornalista, Esperança, PB