Tuesday, 09 de August de 2022 ISSN 1519-7670 - Ano 22 - nº 1199

Entrevista com o ex-delegado Claudio Guerra

Fiquei emocionado com a entrevista conseguida pelo jornalista Alberto Dines com o ex-delegado Claudio Guerra (ver “O matador arrependido”). Fazia muito tempo que eu não ouvia uma matéria jornalística tão bem apresentada e dirigida e, acima de tudo, verdadeira. Se, como diz o Dines, a verdade é sempre um objeto de busca, dessa vez chegou-se muito próximo dela mesmo. Meus sinceros parabéns! (José Luciano Lenci, servidor público, Amparo, SP)

 

Furo de reportagem?

Quando um órgão de imprensa noticia com enorme rapidez informações sigilosas prestadas à polícia por suspeitos de crimes de qualquer tipo, esta forma de divulgação se configura como furo obtido por trabalho honesto ou furo baseado em propina? Tenho reparado que a imprensa, às vezes, tem se comportado como os malfeitores aos quais tanto critica. Tumultua-se o processo, propicia-se enorme barulheira e no final o acusador também se torna corrompido (Cristiano Couto, aposentado, Belo Horizonte, MG)

 

Correção

Sobre a reportagem de Alberto Dines em 23/09/2014, na edição 817, “Campanha feroz, falas claras”. O repórter tenta justificar e defender a presidente Dilma Rousseff a respeito da sua declaração, umas das maiores aberrações que já vi este ano. Dilma disse que quer que a imprensa não investigue nem informe nada sobre escândalos do governo e depois desdisse. Ora, quem não sabe que o Brasil vem sendo ameaçado nos seus fundamentos democráticos e que esse governo é um governo autoritário que não respeita o povo nem a democracia e tem como plano transformar o Brasil numa ditadura de esquerda e manipular a imprensa? É um governo que não perde a oportunidade de mostrar o seu autoritarismo com censura a toda crítica e denúncia contra o governo (Humberto Oliveira, professor, Recife, PE)