Monday, 22 de April de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1284

Leitura útil para o ano

Leitura de qualidade é sempre uma boa recomendação para o início de ano. Nesses tempos de valorização do discurso socioambiental e das práticas de responsabilidade social empresarial, um profissional que trabalha com o tema, ou simplesmente interessado nele, não deve deixar de ter em sua mesa dois novos livros. Guarde bem os seus nomes: Almanaque Socioambiental 2008 e Compêndio para a Sustentabilidade.


Lançados recentemente, eles são bastante diferentes entre si como denunciam seus títulos. Mas apresentam em comum o fato de serem obras de consulta às quais se pode recorrer, por curiosidade ou necessidade, em caso de dúvidas conceituais ou mesmo para ampliar conhecimentos sobre aplicações práticas da temática. O primeiro se propõe a fornecer um conjunto variado de informações para uma reflexão sobre os nossos atuais modelos insustentáveis de consumo e produção. E o segundo reúne ferramentas para facilitar a introdução de princípios de RSE na cultura e nos sistemas de gestão de pequenas, médias e grandes empresas.


Em sua segunda edição –a primeira veio ao mundo em 2005 – o Almanaque Socioambiental 2008 se estrutura em torno de 85 verbetes, muito bem classificados em 11 capítulos temáticos – Diversidade Socioambiental, Florestas, Água, Terras, Recursos Energéticos e Minerais, Mudanças Climáticas, Cidades, Modelos de Desenvolvimento, Legislação Socioambiental e Fóruns e Conferências. Concebida pelo ISA (Instituto Socioambiental) e uma rede de 120 especialistas nos diferentes temas da sustentabilidade, o principal mérito da publicação é combinar informação com análise.


Como convém a um almanaque, há muitos dados estatísticos e científicos na forma de tabelas, gráficos, mapas e relatos de casos. Todos registrados em linguagem simples e didática. Mas há sobretudo uma preocupação de organizá-los de modo a inserir o leitor nas grandes questões socioambientais contemporâneas, estimulando-o a fazer conexão entre noções e áreas de conhecimento normalmente tratados em separado e a formar um senso crítico quanto á inter-relação entre ambiente e meio ambiente, entre água, terra, florestas, recursos naturais e mudanças climáticas.


Versão online


Ao contrário dos almanaques tradicionais, quase sempre enciclopédicos e um tanto frios, o Socioambiental diferencia-se por um claro e confesso engajamento. Ao longo de suas 552 páginas, lado a lado com a informação, destacam-se alertas para reflexão e dicas de como agir ou como integrar campanhas e soluções alternativas que conjuguem desenvolvimento econômico e respeito ao meio ambiente. Um bom exemplo disso é o capítulo Modelos de Desenvolvimento, cuja leitura pode ser especialmente útil para quem está na empresa ás voltas com a discussão de novas formas de produzir.


Ao mesmo tempo em que apresenta ao leitor conceitos como os de comércio justo, consumo sustentável e contabilidade ambiental, o Almanaque reforça o quanto nossos padrões atuais de produção e consumo interferem na saúde do Planeta e na qualidade de vida de todos e também o que devemos fazer para alterá-los antes que seja tarde. Didática na medida certa, com os seus quadros ‘O que é’ e ‘Você Sabia’, é ás vezes professoral, como no caso da ênfase á grafia correta de socioambiental, a publicação se vale ainda de um bom projeto gráfico e de uma organização crível de informações que não apenas facilita a consulta mas a contextualiza.


Já o livro Compêndio para a Sustentabilidade, concebido pelo Instituto AntaKarana e pela Willis Harman House, com o apoio de universidades e importantes centros de estudos brasileiros, faz um registro completo das ferramentas hoje disponíveis em 33 países para a gestão da responsabilidade social empresarial. São instrumentos criados por diversas organizações, que podem ser úteis para quem está coordenando processos internos de aprendizagem, fazendo auto-avaliação de condutas e práticas, prestando contas ou incorporando princípios de sustentabilidade ao seu negócio.


Além de apresentar em resumo as ferramentas, o Compêndio publica sites de referência nos quais o leitor poderá obter mais informações. Uma boa idéia dos idealizadores foi disponibilizar o conteúdo da publicação na internet. A versão online permite uma atualização permanente deste material, que poderá ser feita, mediante credenciamento, pelas próprias organizações que as criaram. É, por essa razão, leitura imprescindível para profissionais envolvidos com o tema nas empresas.

******

Publisher da revista Idéia Socioambiental e consultor de Idéia Sustentável