Thursday, 30 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1289

Porta dos Fundos faz piada com reação do governo aos protestos

Lema dos manifestantes que pararam a capital paulista neste mês, o "não é só pelos 20" inspirou o grupo de humor mais incensado da internet, o Porta dos Fundos, a criar sua versão do que seria uma "reunião de emergência" da presidente com seus aliados sobre a crise nas ruas.

O nome de Dilma Rousseff não é citado, mas a comparação fica evidente quando uma presidente de semblante sério e terninho rosa entra na sala e anuncia, solene: "Pessoal, chamei vocês aqui porque a situação chegou num nível que a gente vai ter que tomar uma atitude: a gente vai ter que roubar menos".

"Como assim?", reage um dos presentes, chamando-a de "presidenta", como Dilma prefere ser chamada. "Diminuir a roubalheira, por uns dois meses pelo menos", responde a presidente, interpretada pela atriz Júlia Rabello.

O esquete foi divulgado ontem no canal do grupo no YouTube. Irônico, o filme de quase três minutos retrata políticos perplexos com o fim da corrupção. "Não dá para parar de roubar assim, do nada", diz um deles. "Acabei de comprar um jatinho", lamenta outro. "Eu não falei parar, eu falei para diminuir o ímpeto", responde a presidente.

A presidente recorre então a um último argumento: "Gente, é só um corte de 20%". Mas logo é interrompida: "Não é só pelos 20. É pelo que representa moralmente!"

O grupo faz menções veladas a vários políticos durante o filme, mas no fim escancara sua mensagem. Quando todos finalmente concordam com a redução de "ganhos", um deles pergunta: "Quem é que vai falar pro Lula?"

 

***

Porta dos Fundos coloca a TV na situação de tomar uma atitude

Por Marcelo Tas, reproduzido do Blog do Tas, 28/6/2013

Em 7 de Agosto de 2012, recebi de Gregório Duvivier (ou teria sido o Kibeloko?) uma DM – mensagem direta fechada – no Twitter pedindo para eu assistir e espalhar, se gostasse, um vídeo de humor. O nome do episódio era Porta dos Fundos número 1. A duração era de 15 minutos, um longa metragem para os tempos de Internet, e o nome… bem, hoje é auto-explicativo. Naquela época ninguém sabia o que era Porta dos Fundos. Gastei muito bem os meus quinze minutos, espalhei imediatamente a nova e percebi que outras figuras da internet haviam feito o mesmo a pedido dos garotos. Estava lançado o boca a boca digital de maior aceleração na história do humor na web. Recentemente, o Porta atingiu mais de 300 milhões de visualizações e tornou-se o maior canal de comédia do YouTube mundial.

Ontem, no seu mais recente video, o Porta dos Fundos mudou de faixa no karatê. Entrou com o pé no peito da política com a mesma irreverência, talento e coragem com que um palhaço sabe fingir-se de homem-bomba aterrorizando e divertindo, ao mesmo tempo, o rei e os súditos. É uma peça que deixa claro que os rapazes cariocas estão falando sério sobre a intenção de expandir os limites da TV, renovar a temática já com alguma fadiga – escatologia, umbigo & pinto – da comédia stand-up e, aqui vem talvez o próximo exame de faixa, inventar um novo modelo de negócio.

O segredo do Porta é tão simples e antigo quanto difícil de realizar: qualidade e ousadia.

Desejo longa vida, glórias e saúde para os meninos e meninas do Porta. Que eles continuem nos fazendo rir e rindo de si mesmos. E obrigando o que antigamente a gente chamava de TV, cinema ou audiovisual a se reinventar para não perder o trem-bala que já vai numa velocidade que coloca a situação “no nível de tomar uma atitude”, como diz a presidente da “Reunião de Emergência”.

Publicado ontem, 24 horas depois, “Reunião de Emergência” não precisa nem merece claquete, já foi visto mais de 1,6 milhão de vezes.  É só dar mais um play.