Friday, 12 de April de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1283

Veterano se despede da CBS após 44 anos

Depois de 44 anos de serviços prestados à CBS News, Dan Rather deixou o canal de notícias americano na terça-feira (20/6), informam David Bauder [Associated Press, 20/6/06] e CBS [20/6/06]. O contrato de Rather venceria em novembro, mas sua saída foi antecipada em conseqüência da polêmica edição do 60 Minutes sobre a atuação de George Bush na Guarda Nacional, nos anos 1970.


Apresentado por Rather e transmitido em setembro de 2004, em época de campanha presidencial, o programa baseou seus argumentos em documentos de veracidade questionável e foi brutalmente criticado. Seis meses depois, em março de 2005, o jornalista deixou o posto de âncora do telejornal noturno CBS Evening News, que ocupava havia 24 anos.


Desejo de trabalhar


Rather contribuiu com oito reportagens para o 60 Minutes após o episódio controverso, mas confessou que o trabalho não era suficiente para satisfazê-lo. Segundo o jornalista, a CBS teria lhe oferecido um novo contrato sem tarefas estabelecidas. ‘Depois de uma extensa briga… eles não sustentaram sua obrigação de me permitir fazer um trabalho substancial aqui’, desabafou Rather.


Já era notório o desejo da CBS de deixar para trás a era-Rather e dar início a uma nova era com a chegada da âncora Katie Couric – que assume a apresentação do CBS Evening News em setembro, no lugar de Bob Schieffer. Sean McManus, que assumiu a presidência da CBS News no ano passado, não quis expor detalhes sobre a oferta feita pela emissora ao jornalista. ‘Basicamente, não conseguíamos pensar em uma situação para Dan na CBS News que fizesse sentido tanto para ele quanto para nós’, afirmou, ressaltando que a decisão não teve motivação financeira.


O ex-âncora, de 74 anos, afirmou que não tem intenção de se aposentar. Ele considera uma oferta para fazer um programa semanal na HDNet, pequena rede de televisão digital oferecida em sistemas a cabo e por satélite. ‘Não tem nada a ver comigo ficar parado e não fazer nada’, afirmou, completando que fundou uma empresa, a News and Guts, para futuros investimentos jornalísticos.


Parte da história da CBS


Rather começou a trabalhar na CBS em 1962, e ganhou notoriedade por sua cobertura do furacão Carla. Ao longo da carreira, ele cobriu o assassinato do presidente John F. Kennedy – foi o primeiro a divulgar que ele havia morrido –, a Guerra do Vietnã, os movimentos pelos direitos civis, a administração Nixon e os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001; entrevistou personalidades que vão de Madre Teresa a Saddam Hussein.


Por mais de duas décadas, Rather, Tom Brokaw (da NBC) e o falecido Peter Jennings (da ABC), foram a cara dos telejornais noturnos nos EUA. A prática – hoje comum – dos âncoras se deslocarem para a cena das grandes matérias começou com Rather. ‘Com o nosso maior respeito, nós reconhecemos o papel extraordinário e singular que Dan teve em escrever a história não apenas da CBS News, mas do telejornalismo’, afirmou McManus.


Para marcar a despedida de Rather, a CBS prepara um especial sobre sua carreira – que irá ao ar ainda este ano – e fez uma doação para a universidade onde o jornalista estudou, a Sam Houston State University. Segundo McManus, Rather merece seu lugar na história do jornalismo da CBS News junto com Edward R. Murrow e Walter Cronkite.


Alguns colegas de profissão lamentaram a saída de Rather da emissora. ‘Estou muito triste em relação a tudo isto. Ele merece muito mais, mas desde que deixou o cargo de âncora sob circunstâncias difíceis, este dia era inevitável’, declarou o âncora Jim Lehrer, da PBS.