Friday, 01 de March de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1277

Filme ucraniano “Estepe” recebe o prêmio pela melhor direção

(Foto: Divulgação)

Estepe é uma vegetação de árvores pequenas e espalhadas que, num vilarejo antigo e pobre, reforça a ideia de desolação. “Estepe” é também o título do filme dirigido pela ucraniana Maryna Vroda, premiado como melhor direção entre os 17 filmes da competição internacional, no encerramento do Festival de Locarno.

Rodado próximo da fronteira com a Rússia, em cores bem leves, começa com a chegada no vilarejo dos dois filhos pouco antes da morte da mãe e mostra a população idosa contando suas lembranças, logo depois do enterro da velha habitante do lugar. Deixa, ao terminar, a sensação de se estar vivendo os últimos dias da região.

Cada velho habitante tem uma curta história para contar, seja da invasão nazista ou da época de Stalin, sem se referir à resistência contra a Rússia, mesmo porque o roteiro foi escrito antes do começo da guerra atual.

Vroda conseguiu reunir atores profissionais com velhos habitantes do lugar, sem script, garantindo o clima de um documentário. Gestos, objetos, cenas exteriores autenticam a triste beleza do filme e sobretudo, os rostos envelhecidos falando e mastigando em torno da mesa.

Esse primeiro longa-metragem de Vroda foi feito doze anos depois dela ter recebido a Palma de Ouro do Festival de Cannes, em 2011, pelo curta-metragem “Cross”.