Tuesday, 18 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

O desabafo de leitores



‘…e aí falou o sapo (que transportava o escorpião nas costas): ‘Mas escorpião, você me envenenou e ambos morremos na lagoa.’ ‘Não posso evitar, seu sapo: é a minha natureza!’’


Fiz uma compilação do ‘Desabafo do Leitor’ publicado no blog do jornalista Luis Nassif no domingo (19/9). Uma relação de amor que chega ao fim, pressionada pela inexorável realidade dos fatos. Notam-se, em alguns comentários, o quão doloroso foi chegar à decisão de se cortar os laços com o diário paulista. O caminho percorrido, por muitos, até a conclusão de que o seu ‘diário de todas as manhãs’ era na verdade um factoide de inverdades, foi muito sofrido. Um fim doloroso, como deve ser todo o fim de todo relacionamento. Marcado por desilusões e mágoas. Dissabores acumulados e inquestionáveis perante a realidade dos fatos.


Em nenhum dos casos apresentados houve sinal de grosserias e inverdades. Ao contrário, percebe-se claramente quase um pedido subliminar para que a Folha recobrasse o senso, não da oportunidade, pois oportunista ela se exibiu em todas as cores, mas de dignidade para com o leitor e para consigo mesmo.


Por mais que Serra, Alckmin ou Bornhausen possam possibilitar à Folha algum tipo de influência, por assim dizer, seus leitores dão a ela credibilidade, mercadoria tão escassa hoje em dia.


Perdas e danos


A Folha perde seu maior patrimônio nesta disputa eleitoral: a credibilidade!


A Folha demonstrou e demonstra agora (ou desde sempre?) um grande desprezo pelo leitor. Subestimou sua inteligência e a capacidade do mesmo de inteirar-se dos fatos por outras fontes e assim chegar a conclusões sem tutela.


A Folha acreditou (e acredita) que poderia manietar o seu leitor como um boneco de polichinelo. Fazer-se de ventríloqua e ser voz repetida e copiada de seus leitores.


A Folha falhou desastrosamente por menosprezar a inteligência e a capacidade racional desse mesmo leitor.


A Folha jogou-se no esgoto daqueles que não têm credibilidade. Das moças de moral duvidosa das cidades interioranas.


Tivesse a Folha se apresentado ao leitor como é, e de peito aberto firmado a sua posição política partidária, teria mais êxito em alavancar votos para o seu candidato do que o caminho mesquinho, pequeno e pobre que resolveu percorrer.


A manipulação grosseira expostas em suas páginas e manchetes deixa claro que, assim como para o Jornal Nacional, a Folha considera o seu leitor um Homer Simpson da vida.


Engana-se tanto como o seu candidato, por subestimar a inteligência do brasileiro.


A Folha perde seu maior patrimônio: a confiança depositada em suas páginas. Jogou no esgoto a relação fraterna e cúmplice do leitor, que sai desta eleição como marido enganado da relação.


Poderia terminar afirmando que perdemos todos nesse engodo. Acredito que ganhamos todos, o Brasil, minha pátria amada, quando seus principais meios de comunicação destroem a máscara e exibem a verdade de suas intenções e creio também que ainda serão o que são a despeito daqueles que possuem um fio de esperança na existência humana.


Pensei em fazer um resumo, mas é melhor como veio.


‘Há alguma racionalidade possível’


Desabafo do ex-leitor da Folha


Enviado por luisnassif, sab, 18/09/2010 – 23:12


Por Felis


Ontem, dia 17/09/2010, rompi, após trinta anos de relacionamento, meu derradeiro vínculo com o jornal Folha de S.Paulo: cancelei minha assinatura do portal UOL, por intermédio do qual acessava a versão eletrônica daquele diário.
A decisão de fazê-lo deve ser entendida num contexto temporal mais amplo, ainda que tenha tido como motivação mais próxima a postura obscena da Folha em favor de determinado candidato na atual campanha presidencial. Não que, como é patente no caso da Folha, um veículo de imprensa não possa ter seu candidato. É legítimo que o tenha e que manifeste sua preferência por ele. Mas, para isso, há um local apropriado: o editorial. O que não se admite é que se contamine o noticiário com essa preferência, seja omitindo, distorcendo ou inventando notícias.


Desabafo de leitor – 2


Enviado por luisnassif, dom, 19/09/2010 – 12:00


Por j.o.a.o


From: João Carlos


To: ombudsman@uol.com.br


Sent: Sunday, September 12, 2010 5:04 PM


Subject: Crítica, crítica, crítica…


Li seus comentários, hoje, e me desanimei menos com o futuro da cobertura da Folha. Há alguma racionalidade possível e esta parece começar a ser recuperada pela senhora. É o que sinceramente espero. Leio a Folha há muitos, muitos anos. Estudei a Folha em minha pesquisa de doutorado, há oito anos. Não por ser leitor, mas pelos méritos do jornal em dar espaço para ideias e debates sobre a redemocratização brasileira, objeto de minhas pesquisas de então.


Campanha de boicote


Desabafo de leitor – 3


Enviado por luisnassif, dom, 19/09/2010 – 13:50


De Samy


Em março/abril desse ano, tb cancelei a minha assinatura do UOL. Sempre o considerei o portal mais completo, mas o conteúdo, integralmente vindo da Folha, começou a me incomodar, por perceber a falta de isenção e desequilíbrio com que as manchetes ora tratavam o governo, ora a oposição. Abaixo, meus e-mails enviados ao ombudsman do UOL pedindo revisão de postura, nele já percebemos a tendência do jornal emporcalhar a cobertura, dando preferência às notícias de escândalos que agora se tornam recorrentes:


Mensagem original
De: OMBUDSMANDOUOL@UOL.COM.BR
Para:
samy.ventura@uol.com.br
Assunto: UOL
Enviada: 26/03/2010 21:16


Caro Samy,
obrigada pela mensagem.
Sua crítica foi enviada à Redação, para análise.
Atenciosamente,
Mara Gama


E-mail recebido em: 24/03/2010 00:49:12


Assunto da Mensagem: Contato – Blog


‘O Nordeste é muito menos contaminado’


Desabafo de leitor – 4


Enviado por luisnassif, dom, 19/09/2010 – 14:00


Por Paulo Paiva


Eu cancelei a minha após o evento da ficha falsa e, como você, acho que não basta. Eu realmente torço para que o jornal feche as portas – gostaria de participar mais ativamente de alguma campanha contra o referido jornal do qual já fui assinante. Pensei que poderíamos começar uma campanha comunicando aos patrocinadores do referido jornal a possibilidade de boicote àqueles que financiam a Folha – ao contrário do que possam dizer, é um gesto democrático: eu não compro produtos de quem financia um jornal que mente e deturpa notícias. Acho que uma campanha dessas, principalmente alertando `antes´ os patrocinadores, pode ser saudável, exceto claro o governo de São Paulo que, pelo jeito, vai continuar além de comprar assinaturas para as escolas.


Desabafo de leitor – 5


Enviado por luisnassif, dom, 19/09/2010 – 15:00


Por Omar Torres


Há cerca de cinco anos, tomei a decisão radical e muito saudável de fechar as minhas contas bancárias pessoais, deixar de ler jornais, revistas, ver noticiário de televisão e rádio. Chego aos sessenta anos bem de saúde, economicamente equilibrado e muito mais bem informado. Ainda que cause espanto, sou fundador de um Sindicato de Jornalistas, ex-proprietário de um pequeno jornal, comunicador de rádio e, desde 1998, empresário do ramo de prestação de serviços. Considero-me bem informado porque excluí da minha vida os tradicionais meios de comunicação. Leio vários blogs, sabendo, claro, de suas tendências, e acompanho a trajetória de quem os faz. Daí tiro minha média ponderada e formo meu juízo de valor. Moro no Nordeste (Petrolina) e ouso afirmar que o lado cá de cima é muito menos contaminado ou influenciável pelo PIG que o Sul maravilha.


Por uma ley de medios já!


Desabafo de leitor – 6


Enviado por luisnassif, dom, 19/09/2010 – 15:30


Por Wagner Borja


Fui leitor da FSP por mais de 25 anos.
Aprendi muito com Cláudio Abramo, Janio de Freitas… mas com o passar do tempo… o jornal foi se desfigurando!
Aquele órgão de imprensa de repente se transformava em caixa de ressonância da semanal da Abril, depois em panfleto partidário… Aí foi demais… Ficha falsa, espaço para acusações sem fundamento de violência sexual por parte do presidente… e todas as baixezas que sabemos.
Já deixei de assinar o jornal, ainda que tenham recentemente oferecido 60 dias de jornal gratuitamente o que prontamente recusei. Agora, o próximo passo é romper com o UOL. O debate com perguntas de militantes e funcionários do PSDB foi algo tão sem noção que não consigo acreditar em nada do que dali se origina.
Enfim, pra completar, espero que o novo governo ponha fim a esse oligopólio midiático, quero ter a possibilidade de ler jornais que tenham posições diversas de FSP e Estadão!
Por uma ley de medios já!


Bacanal do mau caratismo


Desabafo de leitor – 7


Enviado por luisnassif, dom, 19/09/2010 – 16:00


Por Heleno Luís


Sou leitor há nem sei quanto tempo. Desde moleque, guri mesmo, sei lá, dez, doze anos. Tenho 36 anos, de família iletrada e humilde. Migrantes pernambucanos. No início, nem entendia muito os textos dos editoriais. Para um garoto, complexo linguajar! Mas os lia, valentemente. Devorava o jornal do início ao fim. Até os anúncios necrológicos.
Inúmeras vezes deixei de tomar um lanche para comprar o jornal. Nunca fui assinante, comprar em banca era parte da minha militância e orgulho de assíduo leitor, além de um hábito, vício danado, impossível de conter. De quando em vez, me bandeava para o Estadão, coisa que não durava dois ou três dias, pois era um diário chatão, cheio das frescuras, de difícil decifração e, pior, não tinha as crônicas do Cony.
Tornou-se um ritual na idade adulta. Depois do café da padaria (Dona Deôla da Cerro Corá, e agora uma fuleirinha sujinha aqui na Santa Cecília), uma passada na banca para pegar a Folha, e sôfrego, correr para o salão (sou cabeleireiro) destrinchar o jornal.
Hoje já não tenho mais estômago. Como o Lula, tenho azia.


Desabafo de leitor – 8


Enviado por luisnassif, dom, 19/09/2010 – 17:00


Por J


A Folha não entendeu. Simplesmente não entendeu ainda. O tempo da orgia mitômana, manipulativa, do bacanal do mau caratismo impune, já era. Nada mais fica sem resposta. Digo, o outro lado, agora, tem repercussão.
A competência da Folha, quer dizer, seu modus operandi, é o mesmo de Serra. Não é por nada tamanha identificação, irrestrita, sem limites. Ninguém mais se intimida, os berros raivosos só incomodam nossos ouvidos, nosso olfato (o bafo podre), nosso rosto (a baba da espuma raivosa), e nosso senso de decência. Folha, se manca.

******

Psicólogo, Curitiba, PR