Saturday, 15 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Sexo nas manchetes

Com frequência aparecem pesquisas que afirmam que os ingleses não estão entre os povos que mais gostam de fazer sexo: eles preferem assistir a uma partida de futebol; elas, um bom chocolate.

Se o ato é deixado de lado, uma coisa os ingleses não dispensam: ler sobre a vida sexual dos outros.

Traições, prostituição, orgias e afins de celebridades fazem as manchetes dos tabloides, os jornais com maior circulação no Reino Unido.

Mas mesmo os jornais de qualidade, como The Guardian, Times, Daily Telegraph e Independent não conseguem fugir do assunto. A bola da vez é Wayne Rooney, 24, atacante do Manchester United e da seleção.

Ligação gratuita

No domingo [12/9], o News of the World (jornal dominical mais lido, com 2,9 milhões de cópias vendidas) e o Sunday Mirror (terceira maior circulação aos domingos, com 1,1 milhão de exemplares) trouxeram como assunto de capa a história da prostituta de 21 anos que afirma ter transado sete vezes com o jogador enquanto a mulher dele estava grávida.

Cada encontro teria custado a bagatela de 1.200 libras (cerca de R$ 3.000).

Não faltam detalhes: a moça diz que o jogador não tem criatividade na cama; que é tímido; que tenta, mas não consegue falar ‘coisas sujas’ na hora da transa; e que tudo foi muito, muito rápido quando chamaram uma amiga para um ‘ménage à trois’.

As histórias se arrastam por dias, semanas, até que apareça um novo escândalo.

Só na área esportiva, antes de Rooney foi Peter Crouch, o grandalhão desengonçado da seleção inglesa que foi flagrado traindo a ex-namorada, que estaria grávida. Antes, Ashley Cole, John Terry…

Os jornais não escondem que estão em busca de escapadelas de famosos. Ao contrário. O News of the World, por exemplo, deixa claro em seu site que paga, e muito bem, a quem quiser vender uma boa história de uma celebridade.

O Sunday Mirror até coloca à disposição dos ‘vendedores de escândalo’ um número de telefone para ligação gratuita.