Friday, 14 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Todos os poderes à mídia

A imprensa brasileira, neste difícil momento da política nacional, está contribuindo de forma imprescindível para o bem da nação. Algumas mídias estão ajudando a magistratura e a polícia no requerimento e na apresentação de documentos, em primeiras páginas de jornais e revistas e com destaque nos telejornais, principalmente no horário nobre.


Como fruto desta grande colaboração de uma imprensa responsável e ética, deveríamos dotá-la também do poder de polícia e de fiscalização, e assim não existiriam mais problemas sobre desvios de conduta ou recursos.


Não precisaríamos mais de leis (que podem ser mal interpretadas pelo povo), nem da magistratura (já que os casos são resolvidos a partir de fatos apurados – seja de maneira escusa ou não), e muito menos do poder de polícia (na maioria dos casos expostos à população, esta daria cabo dos acusados no ápice das denúncias em atos explícitos de linchamento público – que também seria uma forma de entretenimento, como foram, tempos atrás, os espetáculos de eviscerar os acusados em praça pública por feras humanas ou animais).


As faturas também


Outras atividades também muito relevantes são os pedidos de quebra de sigilo (tanto faz se financeiro, telefônico ou fiscal), em que a mídia promove e sustenta com o puro intuito de esclarecer aos milhões de brasileiros dos acontecimentos.


Como complemento e a esta importante atividade, os media poderiam disponibilizar também seus sigilos bancários, fiscais e principalmente financeiros, em princípio, dos 10 ou 15 últimos anos, em etapas, até ter aberto ao mundo todos os fatos ocorridos desde a sua inauguração.


Os media poderiam disponibilizar também as faturas que foram recebidas e as duplicatas pagas; talvez assim se explique por que os media sempre contribuíram para a boa comunicação, que todos os partidos pagam os mesmos valores e que os media brasileiros nunca favoreceram ou desfavoreceram nenhum partido ou expoente político nas despesas de campanha.

******

Ex-publicitário