Monday, 22 de April de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1284

SXSW 2024: podcasts e o impacto da inteligência artificial no jornalismo são destaque na programação

(Foto: Adam Kissick)

São mais de 450 palestras, 240 shows e 150 filmes, para um público estimado em 300 mil pessoas passando pela cidade, dos quais 50 mil na programação oficial. O South by Southwest, ou SXSW, o maior festival de inovação e cultura do mundo começa nesta sexta, dia 8, em Austin, no Texas, com uma programação que também discute o futuro do jornalismo.

O festival tem 30 trilhas de conteúdo, de temas mais clássicos, como cultura e esporte a psicodélicos e realidade virtual. Este ano, o grande destaque é a inteligência artificial. Uma ferramenta que vai mudar a maneira como nos relacionamentos com tudo, de como fazemos compras nos supermercados à maneira como as notícias são produzidas.

Este aspecto, o das notícias, será discutido num painel sobre IA e o futuro da verdade, com a participação de Gary Marcus, da Universidade de Nova York, Jennifer Risi, da The Sway Effect e Steven Rosenbaum, da Sustainble Media Center.

Outro painel bastante esperado sobre o assunto é com o cofundador do ChatGPT, Greg Brockman, que já participou do festival no ano passado. De lá pra cá, a ferramenta foi aperfeiçoada e seu uso explodiu.

Outro tema ligado ao jornalismo e muito presente na programação deste ano são os podcasts. O meio está em ascensão e, no mercado americano, tem uma audiência semanal estimada em 89 milhões de pessoas nos Estados Unidos (quase um terço da população americana).

O festival traz pelo menos 19 eventos relacionados a podcasts, de gravações de programas ao vivo a oficinas mais técnicas e debates sobre o formato. Um deles traz quatro especialistas do mercado – Ashley Carman, da Bloomberg, Ray Chao, da Vox Media, Emma Vaughn, do Spotify, e Ben Davis, da William Morris Endeavor – para falar das perspectivas do meio para este ano.

Brasileiros no SXSW

O festival está na 38ª edição e cada vez atrai mais brasileiros. Ouve-se português no credenciamento, no supermercado e, claro, nos bares e restaurantes. Existem vários grupos de afinidades, de grupos de mulheres a empresários e executivos. Pelo WhatsApp as pessoas compartilham dicas, highlights das apresentações e, claro, combinam as baladas.

Cerca de 50 deles também estarão no palco, apresentando suas experiências em startups ou grandes empresas de tecnologia, filmes e shows de música. Por exemplo: as fundadoras da White Rabbit, Luciana Bazanella e Vanessa Mathias comandam um meet up sobre economia criativa brasileira, Yasodara Cordova, da Único Idtech, participa de um painel sobre privacidade, enquanto o músico Marcelo D2 faz shows e o filme Pedágio estreia no festival.

Embora o Texas seja um estado bastante conservador, Austin, a capital, é diferente. A cidade tem uma cena cultural importante, cultiva o título de “capital da música ao vivo” e faz um esforço para preservar sua identidade, representado pelo slogan “Keep Austin weird”, adotado pela associação comercial da cidade para defender os pequenos negócios locais. Uma cidade grande que quer manter sua identidade de interior.

***

Denize Bacoccina é jornalista, editora do Observatório da Imprensa e Head de Conteúdo Editorial do Experience Club. Foi repórter do jornal O Estado de S. Paulo, correspondente da BBC Brasil em Londres, Washington e Brasília, chefe da sucursal da IstoÉ Dinheiro em Brasília, superintendente de digital da EBC e country manager da agência de vídeos Ruptly.