Tuesday, 25 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

Agência vai limitar e monitorar tamanho dos textos

O editor responsável pela cobertura nacional da agência de notícias americana Associated Press, Brian Carovillano, instruiu seus colegas a limitar o tamanho dos textos diários para no máximo 500 palavras. Já os artigos principais de alcance regional podem ter entre 500 e 700 palavras, e as principais pautas de alcance global podem exceder as 700 palavras, mas devem ser cuidadosamente escritas e editadas, para não deixar passar “gordura”.

A AP produz cerca de duas mil matérias por dia. Os textos afetados pelas instruções de Carovillano cobrem a maioria da produção diária tanto para a audiência regional quanto global, mas não incluem a divisão de jornalismo investigativo.

No memorando enviado aos jornalistas da agência, na semana passada, o editor explica a principal motivação para o limite de palavras: “Nossos membros não têm os recursos para aparar o excesso [de texto] para caber em buracos cada vez menores”. Em sua curta mensagem (com menos de 500 palavras!), Carovillano também argumenta que os leitores não dão mais atenção para a maioria dos textos longos e que os editores gastam tempo demais cortando os artigos. Ele sugere ainda que, ao acertar a pauta, repórteres e editores debatam o tamanho apropriado para o texto em questão e respeitem este acordo. O tamanho dos textos, segundo o editor, será monitorado.

A AP funciona como uma cooperativa, e 1.400 jornais diários americanos recebem seu conteúdo, além de estações de rádio, TV e sites de notícias. Segundo um porta-voz da agência, uma “preocupação recorrente” entre os membros e assinantes é o tamanho dos textos, que costumam ser considerados longos demais. Nos últimos meses, como experiência, a AP passou a cortar o tamanho das matérias na Europa e o resultado foi satisfatório.