Thursday, 25 de April de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1284

Anistia Internacional pede proteção a jornalistas

A Anistia Internacional pediu ao governo da República Dominicana garantia de proteção a jornalistas, após o assassinato do jornalista José Agustin Silvestre. A organização pediu que seja feita uma investigação abrangente do caso e ressaltou que o governo precisa deixar o público saber se o crime poderia ter sido evitado.

O corpo de Silvestre foi encontrado com três marcas de tiros na manhã de terça-feira, 2, em uma estrada a 100 quilômetros da capital, Santo Domingo. Pouco tempo antes, ele havia sido forçado a entrar em um Jeep por homens armados na frente de um hotel na cidade de La Romana, segundo testemunhas.

O jornalista dirigia uma revista chamada A Voz da Verdade e apresentava um programa de TV homônimo. Crítico ao governo, Silvestre havia acusado políticos e até um padre de envolvimento com tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Em maio, ele foi preso por seis dias depois que um promotor o processou por difamação – Silvestre havia afirmado que o promotor havia aceitado propina de traficantes. O caso continuava em andamento e ele deveria comparecer a uma audiência na terça-feira.

Pouco mais de uma semana antes da morte, o jornalista contou ao grupo de imprensa Colegio Dominicano de Periodistas que havia sido perseguido por dois carros e afirmou que tinha informações sobre o recente assassinato de um empresário local. Com informações do New York Times e do Comitê para a Proteção dos Jornalistas [3/8/11].