Monday, 24 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

BBC investiga acusação de merchandising

Dave Myers e Si King, dois motociclistas barbudos, foram apresentados com entusiasmo pela BBC como os sucessores dos populares chefs de cozinha / apresentadores de TV Jamie Oliver e Nigella Lawson. Os doze episódios do programa The Hairy Bikers Cookbook, nos quais os motociclistas viajam pelo mundo em busca de experiências culinárias e culturais, vão ao ar ainda este ano no horário nobre da BBC2 e atraíram muitos anunciantes. Oficialmente, não pode existir publicidade na BBC, mas parece que esta política não está sendo respeitada na nova série culinária.

Quando Myers e King estavam gravando o programa na Turquia, John Stroud, diretor da produtora Big Bear Film, que é responsável pela produção do The Hairy Bikers Cookbook, negociava com dois empresários no escritório em Londres. Eles propuseram a divulgação de uma nova cerveja mexicana, Reds in Britain, no programa de Myers e King, em troca dos custos de passagem e hospedagem da equipe no México em janeiro.

A proposta é claramente uma violação às normas de conduta da BBC e possivelmente ilegal sob as leis européias. Ao contrário das produtoras cinematográficas, as emissoras britânicas são proibidas de aceitar pagamentos pela prática de merchandising ou product placement (quando há a inserção de produtos no conteúdo dos programas). Mas Stroud, um experiente diretor de drama e comédias da BBC, revelou-se interessado, a princípio, em fazer o acordo, desde que nada fosse registrado em papel. O que ele não sabia era que a cerveja era um produto fictício. Os dois empresários eram jornalistas do Sunday Times disfarçados, que investigavam como o merchandising está se tornando uma prática comum na BBC. Na conversa, que foi gravada, Stroud concordou em colocar uma garrafa da cerveja à vista da câmera enquanto Myers e King estivessem cozinhando. ‘É um rótulo bem diferente. Então em uma tomada de câmera vai dar para ver’, Stroud teria dito. A garrafa da cerveja não teria sido o único produto inserido no programa. A BMW forneceu as motos e apoio mecânico sabendo que seus produtos seriam filmados freqüentemente pelas câmeras.

O programa deve enfrentar agora uma investigação pela BBC. A regra básica, de acordo com as normas de conduta da emissora, é que ‘não pode haver merchandising nos programas.’ Em casos raros, é permitido que produtos apareçam em dramas como acessórios usados na vida cotidiana dos personagens. Entretanto, os programas não podem aceitar dinheiro ou presentes em troca do uso destes produtos, nem distribuir fitas com gravações dos produtos que apareceram na BBC para serem usadas em anúncios. Um porta-voz da rede salientou que ‘qualquer violação às normas de conduta da BBC deve ser investigada porque a independência editorial é absolutamente integral à reputação da emissora.’

Segundo o Sunday Times, a BBC terá muito o que investigar, pois o merchandising virou uma indústria milionária na emissora. De acordo com o jornal, vários repórteres fizeram contatos com agentes que cobraram até US$ 70 mil por ano para mostrar produtos nos programas de televisão de maior audiência. Pelo menos 50 casos de merchandising foram descobertos nos quais as marcas de produtos conhecidos compraram de agentes um espaço de exibição nos programas da emissora, como o Spooks e o Murphy´s Law. Um agente revelou que o preço da exibição de um carro seria equivalente ao valor de um comercial (US$ 55 mil). Informações de Jonathan Calvert e Gareth Walsh [The Sunday Times, 18/9/05].