Friday, 14 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Canal de NY rejeita propaganda anti-Bush

Uma afiliada de Nova York da emissora de TV Fox rejeitou um anúncio do democrata Brian Ellner que fazia uma sátira de George W. Bush. O comercial, que faz parte de uma campanha de mídia de US$ 300 mil, mostra o rosto de Bush colado a um torso nu. O narrador diz: ‘Nova-iorquinos sabem que o imperador não tem roupas’. Ellner, candidato assumidamente homossexual à prefeitura de Manhattan, também apresentou seu parceiro no anúncio. Segundo ele, representantes da emissora justificaram a decisão de não transmitir a peça classificando-a de desrespeitosa ao cargo do presidente. Um porta-voz da campanha afirmou que a Fox foi a única emissora a rejeitar o anúncio, que seria exibido também em afiliadas da ABC e NBC. Informações de Claudia Parsons [Reuters, 7/9/05].



Seriados de TV acusados de ajudar criminosos

Seriados de TV que mostram a rotina de trabalho de peritos criminais ajudariam criminosos a escapar da polícia, sentenciou na semana passada artigo da revista New Scientist. Segundo a revista, programas como CSI: Crime Scene Investigation, transmitido no Brasil pelo canal Sony e pela Rede Record, permite que eles conheçam detalhes dos métodos de perícia usados pelos cientistas forenses e aprendam a burlá-los. Ladrões estariam usando luvas durante arrombamentos e estupradores, camisinhas para evitar a identificação por DNA. Os programas também teriam mudado a imagem que jurados em um tribunal têm de um laboratório forense, esperando certeza absoluta nas evidências apresentadas por ele. ‘Jurados que assistem à CSI acreditam que aqueles enredos, onde peritos estão sempre certos, são a realidade’, afirmou o sedimentologista forense Peter Bull, da Universidade de Oxford. Informações da Reuters [7/9/05].