Monday, 24 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

Emissoras de olho no furacão

Com a experiência da devastação causada pelo Katrina na bagagem, as emissoras de TV dos EUA preocuparam-se em oferecer uma profunda cobertura ao vivo do Rita, que atingiu os estados do Texas e Louisiana no sábado (24/9). A cobertura do furacão dominou os noticiários dos canais a cabo durante a noite e a madrugada, e a programação das redes abertas ABC e CBS sobre o tema durou toda a manhã seguinte.


Reportando de Beaumont, no Texas, um dos locais atingidos pelo Rita, os jornalistas John Roberts, da CBS, e Bob Woodruff, da ABC, tiveram a ‘sorte jornalística’ de estarem em um hotel onde o vento causou destruição no telhado e a água chegou a atingir o lobby. As equipes dos canais conseguiram imagens impressionantes e Woodruff ainda levou ao ar uma emocionante entrevista com uma mulher que havia fugido do Katrina em Nova Orleans e acabou sendo atingida pelo Rita. ‘Quando você anda por este corredor, você vê as pessoas com muito medo em seus olhos’, dizia o jornalista da ABC em uma de suas matérias.


Direto de Nova Orleans na cobertura da passagem e dos estragos causados pelo Katrina, o âncora da NBC, Brian Williams, tirou a audiência da ABC – ainda à procura de um sucessor para Peter Jennings, que morreu em agosto, vítima de câncer. Para evitar situação semelhante com o Rita, a emissora decidiu mobilizar a melhor equipe possível para cobrir o furacão, com Woodruff em Beaumont, Charles Gibson em Houston e Diane Sawyer e Bill Weir no estúdio em Nova York. Já a NBC, ao contrário das concorrentes, colocou no ar partidas de golfe durante boa parte da manhã de sábado.


As novas enchentes em Nova Orleans foram caracterizadas de diferentes maneiras pelas redes de TV. A CNN inicialmente entrevistou autoridades que se mostraram otimistas em relação à reconstrução da cidade, enquanto Harry Smith, da CBS, classificava a situação como o ‘pior cenário acontecido’.


Shepard Smith, âncora da Fox News, interrompeu uma matéria que fazia em Beaumont, na sexta-feira (23/9) à noite, quando teve de se agarrar a uma placa para se equilibrar em meio à lama: ‘É estupidez sair num tempo desses’, desabafou. Não houve muito exibicionismo por parte de jornalistas. Janet Shamlian, da MSNBC, foi uma das exceções. Ela contava que teve problemas para dirigir em Galveston, no Texas, quando seu boné voou devido ao forte vento. ‘Oh! Lá se vai meu boné da NBC!’, disse ela, seguida por um comentário do estúdio, fechando sua matéria: ‘Vamos te dar um outro’. Informações de David Bauder, da AP [24/9/05].