Tuesday, 25 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

Investigação de fraudes atinge revistas nos EUA

Após o escândalo da fraude nos índices de circulação de diversos jornais americanos no ano passado, um escritório da procuradoria federal de Nova York investiga agora o setor de revistas. Ali Zelenko, porta-voz da Time Inc., confirmou que a empresa recebeu uma intimação na sexta-feira (23/9) e que está colaborando com a investigação. A procuradoria quer saber mais sobre o programa de vendas patrocinadas da companhia, no qual revistas são distribuídas como cortesia, e como esses números são informados nos dados de circulação – a partir dos quais são determinados os preços dos espaços publicitários. Se os índices de circulação e, conseqüentemente, os valores das ações da empresa foram inflacionados, anunciantes e acionistas podem ter sido enganados.


Em carta a anunciantes, Jack Haire, vice-presidente da Time Inc. – que publica as revistas Time, People e Sports Illustrated, entre outras –, afirmou que a companhia está reclassificando a circulação de vendas patrocinadas como ‘qualificadas’. ‘Em muitos programas de vendas, patrocinadores receberam pagamentos da empresa ou de nossos agentes em valor igual ou maior ao que eles pagariam pelas assinaturas. Estamos revisando tudo e vamos discutir com o Audit Bureau of Circulation se as assinaturas pagas sob estas circunstâncias devem ser incluídas em circulação paga ou em outra categoria’, afirmou Haire.


A procuradoria chegou à Time Inc. por causa da distribuidora Inflight Newspapers & Magazines, da qual a editora é cliente. A Inflight é acusada de receber reembolso pela compra de milhões de cópias de revistas, que teriam sido classificadas como cópias de circulação pagas pelas editoras. Pelo esquema, a distribuidora compraria um número de revistas maior do que o que realmente é vendido para os leitores. Estes exemplares seriam incluídos no índice de circulação paga – no entanto, os cheques seriam reembolsados pelas próprias editoras, com o objetivo de inflacionar o número de revistas vendidas. Informações de Mark Harrington e Robert E. Kessler [Newsday, 24/9/05].