Saturday, 15 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Pentágono anuncia novas regras para imprensa

O Pentágono emitiu, na semana passada, novas regras para a cobertura da mídia sobre a prisão e os julgamentos na Baía de Guantánamo, em Cuba. As normas surgem quatro meses depois de jornalistas americanos e canadenses terem sido proibidos de trabalhar no local, por terem publicado o nome de uma testemunha em uma audiência.


A partir de agora, repórteres podem somente publicar informação que já foi divulgada por outros meios de comunicação, mesmo se for declarada ‘informação protegida’ por um juiz do tribunal militar de Gantánamo. O Departamento de Defesa ainda alegou que autoridades ‘podem pedir que sejam cortadas duas imagens por dia, por pessoa, para atender a medidas de segurança’. Fotógrafos podem, entretanto, apelar da censura e ter uma resposta dentro de 24 horas.


Segundo o Pentágano, profissionais da mídia podem ter melhor acesso a equipes de defesa e acusação, por meio de uma local especial para coletivas, desde que a critério de um conselho. Na sala de imprensa, será proibido consumo de álcool, por se tratar de ambiente de trabalho. No entanto, uma área com geladeira, cadeiras, TV e área social será reservada para armazenar bebidas alcóolicas. Se um jornalista não seguir as regras, ele pode ser expulso, notificado por escrito e convocado para audiência.


Histórico de censura


Em maio, quatro repórteres do Miami Herald e três de veículos canadenses – Toronto Star, The Globe and Mail e CanWest – foram expulsos de Guantánamo. Os sete foram acusados de violar o pedido de um juiz para manter em segredo a identidade da testemunha – cujo nome já havia sido divulgado por outros meios de comunicação. Informações da AFP [10/9/10].