Tuesday, 21 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1288

Público critica cobertura de crime brutal em Londres

A Comissão de Queixas sobre a Imprensa (PCC), órgão independente que fiscaliza a atuação de jornais e revistas no Reino Unido, recebeu mais de 80 reclamações sobre a cobertura do brutal assassinato de um soldado em Londres na semana passada. Lee Rigby, de 25 anos, foi morto no meio da rua com golpes de facas e um cutelo por dois homens.

Leitores entraram em contato com a PCC para se queixar das matérias e fotografias usadas pelos jornais do país. Todos os títulos nacionais exibiram em suas capas, um dia após o ataque, a imagem de um dos suspeitos, identificado como Michael Adebolajo, com as mãos ensanguentadas. O homem, que, após o crime, deu um depoimento diante da câmera de um transeunte, dizia que havia assassinado o soldado em nome do Islã.

"Vocês nunca estarão seguros"

Jornais como o Times, Daily Telegraph, Independent, Daily Mirror, Sun e Guardian usaram imagens parecidas na primeira página, todas tiradas do vídeo obtido pela emissora ITV News. O vídeo provocou cerca de 800 reclamações em 24 horas.

A PCC não divulgou a lista dos jornais que receberam reclamações. O ombudsman do Guardian, Chris Elliot, reportou que recebeu cerca de 40 emails sobre a primeira página do jornal que trazia uma grande foto de Adebolajo com a manchete “Vocês nunca estarão seguros”, uma das frases ditas por ele no vídeo.