Saturday, 25 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1289

Wikipedia em busca de doações de tempo e dinheiro

A enciclopédia online Wikipedia é o quinto site mais visitado do mundo, com 400 milhões de usuários únicos por mês – mas, ao contrário de outros gigantes da internet, seu conteúdo é fornecido por editores voluntários. Na equipe em tempo integral, são 78 funcionários (espera-se que esse número chegue a 117 em 2012). A Wikipedia não aceita publicidade e gasta 44% de sua receita em tecnologia (incluindo o trabalho de programadores).

Quem costuma fazer buscas na enciclopédia online deve se lembrar de um banner no topo da página, um ano atrás, com um pedido de seu fundador, Jimmy Wales, por doações. A campanha para ajudar a pagar as contas da “enciclopédia gratuita que pode ser editada por qualquer pessoa” foi feita nas últimas semanas de 2010. E funcionou. Em 50 dias, a Wikipedia conseguiu atingir seu objetivo de US$ 16 milhões. A campanha deve voltar neste fim de ano.

Voluntários

Conseguir dinheiro para manter o site, curiosamente, parece tarefa mais fácil do que conseguir com que as pessoas doem tempo. Em 2006, o crescimento de artigos na versão em inglês chegava a 5% por mês; nos últimos dois anos, no entanto, ficou em apenas 1%. A Wikipedia acredita que o número de editores voluntários ativos caia para menos de 80 mil até o meio do próximo ano – em março último, eram 90 mil deles.

Não é simples o cargo de editor voluntário: eles devem compreender as políticas do site, conquistar certa autoridade entre os outros usuários para que suas decisões prevaleçam, e saber escrever no nada simples código usado pelo software da enciclopédia. Segundo Barry Newstead, chefe de desenvolvimento global da Wikimedia Foundation, companhia sem fins lucrativos que administra o site, 90% dos usuários fora da “comunidade central” da Wikipedia nem ao menos sabem que podem editar seu conteúdo. A grande maioria dos visitantes que usam o site para pesquisa parece ignorar os convites – no próprio site – para fazê-lo, diz Newstead.

Sue Gardner, diretora da fundação, diz querer derrubar a “barreira psicológica” que existe entre ler e editar os verbetes, para que os usuários sintam que melhorar um artigo é uma extensão natural de sua leitura. Mas o desafio é grande: não é fácil atrair pessoas dedicadas o suficiente para combater editores com interesses próprios e “trolls”, como são conhecidos os internautas que tentam desestabilizar discussões, fazer provocações e irritar pessoas na internet.

Simplificando

Assim, um dos objetivos do site é facilitar a vida dos editores. Até o fim de 2012, a Wikimedia planeja tornar a edição mais fácil, com o uso de um software mais parecido com os dos blogs. Outro é manter o site limpo e leve – para que um internauta tentando acessá-lo de um telefone celular barato no meio da África, por exemplo, consiga baixar a página rapidamente, como se estivesse em um país rico usando um computador potente e conexão banda larga.

Até o fim de 2011, a Wikimedia abrirá seu primeiro escritório fora dos EUA, na Índia. A escolha é lógica: há no país uma grande comunidade de usuários em língua inglesa da Wikipedia; os indianos são o quinto maior doador, e estão em sexto lugar entre os editores mais ativos do site. Apesar da enciclopédia ter duas dúzias de versões em línguas indianas, até a maior delas, em hindi, tem apenas 100 mil verbetes (em inglês, são 3,8 milhões). Assim, há muito espaço para crescimento: são 300 milhões de falantes de hindi, e espera-se que a Índia triplique o número de internautas em 2014. Os administradores esperam que esta primeira expansão represente o pontapé inicial para projetos em duas regiões consideradas de grande potencial: o Brasil e o mundo árabe.

Novos recrutas

Com a expansão, cresce também o desafio de conscientizar e formar editores voluntários. Uma solução é a parceria com universidades. A Wikipedia já trabalha com três instituições de ensino na cidade de Pune, um centro educacional no oeste da Índia. Os alunos recebem temas e têm que escrever artigos sobre eles – em troca de créditos escolares. Os estudantes ficam satisfeitos em ver seus textos na rede, em vez de receber a leitura apenas de seus professores, e a Wikipedia ganha novos e qualificados recrutas.

A ideia de que é possível fazer uma enciclopédia livre na internet com conteúdo de qualidade cresce cada vez mais – há alguns anos, muitos críticos viam o site como pouco confiável, justamente por ser feito livremente. Os erros ainda existem, mas com a vantagem de que podem ser corrigidos instantaneamente. Informações da Economist [5/11/11].