Monday, 26 de February de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1276

Radar Observatório da Imprensa: quando o jornalismo é a pauta

(Foto: Pixabay)

Yes, nós temos bananas

Há alguma fixação pelas bananas no atual contexto político brasileiro. Começa pelo gesto do presidente Jair Bolsonaro aos jornalistas, na porta do Palácio da Alvorada, culminando com a ridícula performance de um pretenso humorista que distribuiu as frutas aos profissionais da imprensa.

Por fim, o general Mourão, ao comentar o incidente diplomático com a China provocado pelo filho do presidente – que acusou o país asiático pela propagação do covid-19 -, arrematou: “O Eduardo Bolsonaro é um deputado. Se o sobrenome dele fosse Eduardo Bananinha, não era problema nenhum. Só por causa do sobrenome. Ele não representa o governo. Não é opinião do governo. Ele tem algum cargo no governo?” indagou, em entrevista à Folha de S.Paulo.

Irresponsável e idiota

O grupo Band também se manifestou sobre o caso das relações diplomáticas com a China e, ao invés das metáforas, qualificou o gesto de Eduardo Bolsonaro e seu apoio pelo ministro das Relações Exteriores como “irresponsável” e “idiota”. O apresentador Eduardo Oinegue leu o editorial no principal telejornal da emissora.

“A provocação desnecessária de um deputado irresponsável, seguida por um chanceler idiotizado, uma espécie de avesso do Barão de Rio Branco, colocou o Brasil em conflito com seu maior parceiro comercial. Pura inépcia. O chefe da diplomacia, que teria como missão zelar pelos interesses do país, torna-se, assim, um obstáculo. Talvez o maior no caminho de nossas relações com a China”, diz o editorial, que pode ser visto aqui.

Vera Magalhães

A jornalista Vera Magalhães, apresentadora do Roda Viva, da TV Cultura, foi alvo de mais um ataque. Os deputados estaduais paulistas Douglas Garcia (PSL) e Gil Diniz (PSL) discursaram na Assembleia dizendo que a jornalista ganhava R$ 500 mil reais da Fundação Padre Anchieta, que administra a TV Cultura. A fala dos deputados também foi impulsionada por meio de publicações dos deputados federais Bia Kicis (PSL-DF) e Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), com mais de dois mil compartilhamentos nas redes sociais.

A agência Aos Fatos divulgou checagem sobre o caso “Não é verdade que a âncora do programa Roda Viva, Vera Magalhães, recebe R$ 500 mil reais mensais da Fundação Padre Anchieta, que mantém a TV Cultura. O salário da jornalista, segundo consta em contrato, é de R$ 22 mil mensais, conforme ela e a própria emissora confirmaram ao Aos Fatos. Além disso, afirmar que o governo do estado de São Paulo paga o salário de Magalhães é uma maneira de distorcer a despesa pública: parte da verba da TV Cultura é pública, mas esse dinheiro é determinado pela LOA (Lei Orçamentária Anual), que deve ser aprovada pelos deputados estaduais. A Fundação Padre Anchieta é uma entidade de direito privado com autonomia intelectual, política e administrativa”.

Todo mundo replica

Vídeo de pouco mais de um minuto divulgado no canal TV Folha (YouTube) utiliza uma montagem de frases do presidente Jair Bolsonaro criticando a Folha de S.Paulo. A frase final do vídeo, “a Folha publica, todo mundo replica”, na voz presidencial, foi dita em entrevista recente de Bolsonaro à Rádio Bandeirantes.

Orientações para a imprensa

A Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) divulgou orientações para os sindicatos e profissionais sobre cuidados na cobertura em tempos de isolamento social causado pelo covid-19. As informações se dão em três frentes: recomendações às empresas jornalísticas, orientações aos jornalistas e funcionamento das entidades de acordo com a situação em cada estado. Nesse momento, o valor da informação verificada tem feito a diferença no contexto da pandemia, mas é preciso também não descuidar da segurança dos profissionais que estão na linha de frente das coberturas.