Tuesday, 25 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

O 11 de Setembro em galeria virtual

A Galeria Virtual ‘Cartoons 9/11’, criada em 2004 pelo Museu Nacional da Imprensa (Porto, Portugual), surge reforçada com novos links e mais cartoons. A galeria foi lançada quando do terceiro aniversário dos atentados do 11 de Setembro de 2001 nos EUA, e continua localizável aqui.

A galeria resulta do grande impacto que este acontecimento teve no mundo, através dos media e mostra a riqueza da linguagem do cartoon na interpretação daquele atentado terrorista.

A galeria é bilingue (português/inglês) e permite um rápido acesso a milhares de cartoons feitos em todo o mundo e digitalmente acessíveis. Está repartida em diversas ‘salas’, permitindo um visionamento dos desenhos humorísticos por ordem de países, associações profissionais, cartunistas individuais etc.

A criação desta galeria surgiu no âmbito da atenção que o Museu Nacional da Imprensa tem dado ao cartoon, quer através do PortoCartoon-World Festival, quer de múltiplas exposições e outras actividades como a Galeria Internacional do Cartoon, em desenvolvimento.

Este projecto, do Museu da Imprensa, homenageia os cartunistas de todo o mundo e sublinha a importância do cartoon na análise da actualidade.

Exposição

Além disso, o Museu Nacional da Imprensa vai assinalar o 4º aniversário dos atentados do 11 de Setembro com a reposição da exposição ‘O 11 de Setembro na Imprensa Mundial’. À mostra original foram acrescentadas várias publicações editadas nos anos seguintes, nomeadamente jornais e revistas de 2004, como o Le Monde e Le Fígaro.

Na exposição, constituída por dezenas de publicações de todo o mundo, podem ser vistas as edições dos dias 11 e 12 de setembro de 2001, e outras publicadas nos anos seguintes quando da evocação dos atentados.

Uma edição especial do Courrier Internacional com o projecto feito pelo arquitecto Daniel Libeskind para a zona de impacto zero, também pode ser vista nesta mostra. Esta exposição relembra ao público como os Estados Unidos, o país mais poderoso do mundo e o ‘mais seguro’, foi atacado em duas das suas mais emblemáticas instituições: Pentágono e World Trade Center.

Fica patente, aos olhos dos visitantes que os principais jornais do mundo primaram por edições especiais enchendo por vezes a capa e a contra-capa com a mesma imagem. As palavras Ataque, Terror, Guerra, Assalto, Crise e Apocalipse foram acompanhadas de fotografias terrificamente espectaculares. Ao ver esta mostra percebe-se que, em termos gráficos os mais influentes jornais europeus foram mais inovadores que os principais jornais americanos. Para além da evocação do 11 de Setembro, esta mostra revela a dimensão estética da informação e permite a comparação de modelos gráficos da imprensa mundial.

A exposição termina com uma reflexão humorística do cartunista do Expresso, António, que se interroga sobre o principal acusado do ataque terrorista: Onde está Bin Laden?. Uma pergunta que passados quatro anos continua a ter a pertinência de 2001.

A exposição estará aberta até 16 de outubro, na Galeria de Exposições Temporárias do Museu Nacional da Imprensa, e pode ser vista todos os dias (incluindo domingos e feriados) no seu horário habitual: 15h às 20h.