Sunday, 19 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1288

A superação dos conflitos

V. G.

O professor Marcos Palácios, da Universidade Federal da Bahia, envia esta foto, de um outdoor fraudulento.

Para o leitor desatento, fica a expressão "Conceito A pelo MEC". O problema é que esta faculdade não recebeu conceito A. No anúncio há um asterisco ao lado do "A", que diz, no outdoor, em letras menores que aquelas de contratos fajutos, "baseado no critério Projeto Pedagógico".

Ora, se é um curso novo, o Projeto Pedagógico não passa de um plano de intenções. Os outros critérios, corpo docente e instalações, por exemplo, são mais concretos, mas tudo indica que não obtiveram conceito "A".

Se o curso já existe, a fraude é pior: a avaliação do MEC não usa conceitos "A", "B", mas MUITO BOM, BOM, REGULAR, INSUFICIENTE. E, de novo, o projeto pedagógico é apenas um dos itens da avaliação.

A sociedade precisa de mecanismos eficazes que impeçam propaganda enganosa como esta. Permitir este tipo de propaganda evidencia como se usa o MEC para legitimar picaretagens explícitas.