Monday, 26 de February de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1276

Aos amigos, um pouco menos

NOBLESSE OBLIGE

Na redação do Economist não se adota nenhum manual mas o semanário ? apesar das posições conservadoras ? é respeitado à esquerda e à direita por seus padrões deontológicos.

Uma das normas (explicitada sempre) é a de encomendar a profissionais que não pertencem aos seus quadros a crítica ou resenha de obras cujos autores são funcionários ou colaboradores regulares. Com isto evita-se a famosa e perigosa "colher-de-chá" que pode perverter a imparcialidade do comentário.

A revista Veja, que tem poder de fogo para converter em best seller ou campeão de bilheteria uma obra resenhada com apenas uma simpática nota, deveria adotar esta prática.

Pegou mal entregar a uma subeditora a resenha ocupando uma página inteira sobre um filme cujo roteirista é também colunista fixo da revista e, cujo diretor, é irmão do colunista (edição de 14/11, p. 145). Ficou muito em família. Sobretudo quando se recorda a histórica má-vontade do semanário para com o cinema brasileiro.