Sunday, 03 de March de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1277

Correspondência indesejável

TELETIPO

Autores novatos estão acostumados à rejeição, mas nestes dias, com medo do antraz, editoras e revistas literárias têm uma boa desculpa para não ler manuscritos não-solicitados. Na New Yorker, a correspondência normal não está sendo aberta: centenas de contos e cartas são amontoados em uma sala enquanto os editores pensam o que fazer com elas. Celestine Bohlen [New York Times, 8/11/01] informa que algumas editoras, como a HarperCollins, jogam no lixo cartas sem remetente. Poucos se arriscam: Joseph Parisi, editor da mensal Poetry Magazine, que publica poemas de leitores, explica que não pode ignorar a correspondência. "Quase nunca solicitamos nada, e dependemos totalmente de cartas. De vez em quando achamos um maluco, mas o pior que já recebemos foram insetos mortos." Mesmo cartas sem identificação são aceitas. "Os ingleses quase nunca colocam endereço para retorno nos envelopes, por alguma razão. Então, quando vemos um selo inglês, especialmente de Cambridge ou Oxford, nos sentimos seguros", diz Parisi.

Após vários adiamentos, a CBS decidiu transmitir em 8/11 o episódio da série The Agency sobre antraz. Informa a Reuters (2/11/01) que o capítulo iria ao ar em 11 de outubro, mas coincidiu com uma aparição televisiva de George W. Bush. Programado para a semana seguinte, foi novamente engavetado por medo da reação do público, ansioso com os casos reais na Flórida, em Nova York e na sede do Parlamento americano. No episódio, filmado em agosto, a CIA descobre que terroristas planejam um ataque de antraz em Washington. No Brasil, a série é transmitida pelo canal a cabo Sony.