Saturday, 18 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1288

Dinossauro brasileiro

OFJOR CI?NCIA

OfJor Ciência 2000 ? Oficina OnLine de Jornalismo Científico é uma iniciativa do Observatório da Imprensa, Labjor e Uniemp.

FOLHA DE S.PAULO

César Boschetti (*)

Em seu editorial "Elefante espacial", de 2/11/2000, a FSP mais uma vez demonstra o descaso injustificado para com a pesquisa científica brasileira e, neste caso em particular, com relação às nossas atividades espaciais.

Em primeiro lugar, denominar a Estação Espacial Internacional (ISS ? International Space Station) de elefante traduz, no mínimo, profunda falta de criatividade. Em segundo, embora a reportagem traga algumas informações quanto aos possíveis benefícios do empreendimento, o faz em tom sarcástico, induzindo o leitor à subavaliação de sua importância. Além disto, questiona de modo completamente inadequado a participação brasileira.

Existe, é claro, margem para o questionamento, mas este deveria dar-se sob a forma de um jornalismo científico sério, e não no formato de uma coluna de fofocas políticas.

(*) Tecnologista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, SP

GLOBO.COM

Fernando Mendes (*)

No artigo do Globo.com sob o título "Guerra das dietas agita Congresso nos EUA", publicado em 23/10/2000 às 16:26:14, consta a seguinte frase:

"Ornish, que recomenda costeletas de porco e outros alimentos gordurosos no emagrecimento…"

Nada mais distante da verdade do que essa frase. O Dr. Dean Ornish, responsável pela dieta da família do presidente Bill Clinton, e que já foi capa de uma edição da Newsweek, recomenda uma dieta à base de vegetais, livre de alimentos gordurosos e de proteínas animais em excesso. A dieta do Dr. Ornish recomenda evitar o máximo possível: carnes de todos os tipos, óleos, incluindo margarinas, abacates, azeitonas, nozes e sementes (vegetais ricos em gorduras), laticínios com gordura e qualquer produto com mais de 2 gramas de gordura.

Como pode o Globo.com publicar uma inverdade dessas? Parece que avisaram a todo mundo, menos a eles, que a atual "guerra das dietas" é entre a dieta com excesso de proteínas (do Dr. Atkins) e a dieta com pouquíssima gordura (do Dr. Ornish).

Em todos os lugares se publicam que a dieta do Dr. Ornish é baseada em pouca gordura, vegetais e fibras, enquanto a do Dr. Atkins é baseada em carne, gorduras e laticínios.

Isso pode ser conferido em: <http://www.fatfree.com/diets/ornish.html> e <http://my.webmd.com/medcast_channel_toc/3068>

O link para a "notícia" do Globo.com é <www.globo.com.br/noticias/arquivo/saude/20001023/4qafsf.htm>.

Mas isso não é tudo.

A revista Época no Globo.com publicou notícia com o título "Ovos não aumentam taxa de colesterol".

Façamos o contraste com os fatos conhecidos da medicina sobre o ovo: o ovo é uma fonte concentrada de colesterol (quase toda está na gema); o ovo é uma fonte concentrada de gorduras, e em especial, as gorduras saturadas ? 65% das calorias do ovo estão na forma de gorduras saturadas. O ovo não contém fibras. E fibras ajudam a diminuir o colesterol.

A esses três fatos somemos: essas pesquisas citadas no artigo foram realizadas em pessoas que já têm nível saturado de colesterol (pela péssima dieta típica do americano). Nesse nível, o sangue não consegue mais reter colesterol. Portanto, é evidente que o ovo não vai aumentar um colesterol já excessivo. E o colesterol é um dos principais ingredientes das "pedras nos rins".

Esta é uma das "notícias" de maior irresponsabilidade jamais oferecidas ao público brasileiro.

Notícia original: "Ovos não aumentam taxa de colesterol" <http://www.epoca.com.br/nd/20001026ct_c.htm>

(*) Rio de Janeiro; e-mail <fmendes@email.com>

Volta ao índice

OfJor ? texto anterior

OfJor ? próximo texto


Mande-nos seu comentário