Sunday, 03 de March de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1277

Escorregão online

TIME

O sítio TimeCanada.com, versão online canadense da Time, botou no ar no dia 6 matéria sobre o novo iMac, aparentemente antes da hora acertada com a Apple, fabricante do computador. O presidente da empresa, Steve Jobs, faria o lançamento no dia seguinte, em evento em San Francisco, EUA.

Ao ver que estragaria a festinha de Jobs, tirou a matéria da página poucas horas depois de colocá-la. Para piorar a situação, no dia 7, quando se fazia finalmente a cerimônia de apresentação do computador, foram distribuídas revistas Time aos presentes contendo matéria que descrevia o equipamento como "a quintessência do coolness computacional, a mais fabulosa máquina que você ou qualquer pessoa jamais viu". Depois, surgiu no sítio da Time um link que dizia "Compre um iMac", que levava diretamente a uma loja virtual.

"Eu sei que houve rumores sobre isso" admitiu Steven Frank, chefe da sucursal de Toronto da Time. "Mas eu não sei exatamente sobre o que, nem por quê",desconversou. Segundo Felicity Barringer [New York Times, 14/1/02], o desconforto é flagrante. O público fanático por Macs debateu freneticamente o assunto e a polêmica sobre se a revista haveria mesmo fechado acordo com Jobs para ter exclusividade sobre o lançamento, em troca de fazer uma propaganda velada, acabou tirando a atenção do máquina.

 

BANGLADESH

Dois tribunais de Bangladesh consideraram ilegal a prisão do jornalista Shahriar Kabir, acusado de agitação e subversão. Ele foi detido em dezembro após gravar imagens de refugiados hindus de Bangladesh que, buscando proteger-se de grupos extremistas islâmicos, atravessaram a fronteira da Índia.

O governo afirma que o jornalista atentou contra a soberania nacional, chegando a questionar publicamente a independência do país. Ele também haveria acusado injustamente ministros de terem colaborado com o Paquistão em 1971, quando Bangladesh fazia sua guerra de independência. Sua defesa rebate com a afirmação de que ele é um preso político que sofre maus-tratos na prisão. Se for considerado culpado das acusações em novo julgamento, Kabir estará sujeito à prisão perpétua. Um dos elementos de acusação é uma entrevista que ele deu à TV britânica BBC na Índia.

Segundo Alistair Lawson [BBC News, 12/1/02], os hindus denunciam que, após a chegada ao poder da coligação islâmica linha-dura Jamiat-i-Islami em outubro, foram obrigados a fugir de perseguições e violência. Defensores dos direitos humanos, incluindo a Anistia Internacional, classificaram Shahriar Kabir como um "prisioneiro da consciência", ou seja, está preso por manifestar opinião. Para os advogados do repórter, sua prisão mostra que a liberdade de imprensa no país está ameaçada.