Friday, 14 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Fernando Martins

JORNAL
DE NOTÍCIAS

"Nem virar a sul nem perder o norte", copyright Jornal de Notícias, 30/3/03

"Não esquecendo as suas raízes, o JN procura tratar todos os clubes por igual.

Vários leitores reagiram ao tratamento jornalístico dado pelo JN às vitórias do FC Porto e do Boavista, nos jogos do passado dia 20, para os quartos de final da Taça UEFA.

Contestaram a quantidade e o relevo da informação, e não a qualidade. Mas para adeptos dos dois clubes, o pouco relevo dado na Primeira Página, a redução para quatro do número de páginas do caderno de Desporto e a não publicação, nesse dia 21, de uma foto das comemorações da vitória, na Baixa portuense, foi considerada inaceitável, num jornal tido como importante bastião do Norte em geral e do Porto em particular.

Os protestos sucederam-se junto do Provedor, alguns deles tentando aliar uma opção meramente conjuntural a uma ?viragem a sul? do JN.

Ouvida pelo Provedor, a Direcção reconhece toda a razão aos leitores quanto ao facto de o destaque dado às vitórias do FCPorto e do Boavista ter sido muito reduzido, sobretudo se comparado com o que o JN costuma dedicar a estes acontecimentos. Mas refuta veementemente que isso seja fruto de ?uma viragem a sul?.

Segundo o director adjunto José Leite Pereira, ?o que aconteceu ? e se explicou nas páginas do jornal ? foi que, não sendo o espaço elástico, a Direcção optou por manter o espaço dedicado à guerra e prejudicou o Desporto, não por ser o Desporto, mas por ser um suplemento, cujo número de páginas tem de ser múltiplo de quatro, nem mais nem menos. (…) O JN não minimizou nenhuma das vitórias ? no caso do FC Porto até tínhamos um enviado com a equipa em Atenas. Só não conseguimos foi dispor de espaço para tudo. As páginas de que a Redacção dispõe para fazer o jornal obedecem a uma relação publicidade/texto. Nesta altura, infelizmente, como é público, a Imprensa sofre ? e sofre há já muito tempo ? uma crise de receitas publicitárias que nos impõe uma série de cuidados relativamente aos gastos de papel. O que diariamente temos de fazer é uma gestão equilibrada de espaços. (…)Os jogos da Taça UEFA aconteceram em simultâneo com os primeiros dias de guerra, numa ocasião em que a ansiedade com o que se passa no Iraque era grande ? ainda é ? e em que as notícias desses acontecimentos caíam em catadupa ? ainda caem. ?

A Direcção esclarece, ainda:

?Quanto ao jornal virar a Sul parece uma observação descabida. Primeiro, não estava nenhuma equipa do Sul em jogo. Para além disso, o JN, não esquececendo as suas raízes, procura tratar todos por igual. O receio de que o Sul desvirtue o JN não colhe. De há alguns anos para cá o JN procura, lenta, paciente e firmemente alargar a sua expansão a Sul. Isso não significa esquecer e perder o Norte. Ainda recentemente lançámos uma edição no Minho para melhor servir os muitos e muitos leitores daquela região. Simultaneamente, reforçámos a nossa oferta editorial no Centro. Não foi por fazermos estas edições ou mantermos a edição Sul que o Desporto perdeu espaço no dia das competições europeias, mas sim pelas razões já aduzidas."