Tuesday, 25 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

Folha de S.Paulo

JORNALISTAS MORTOS

"Um jornalista morre, e dois desaparecem", copyright Folha de S.Paulo, 23/3/03

"Cinco pessoas morreram em explosão de um carro-bomba, de acordo com autoridades curdas. Entre os mortos está um jornalista ocidental, um civil e três combatentes curdos.

Paul Moran, o jornalista morto, era cinegrafista free-lance do canal de televisão Australian Broadcasting Corp. e tinha 39 anos.

Outras nove pessoas ficaram feridas no atentado, que aconteceu diante de um posto de controle curdo no povoado de Khormal.

O grupo extremista islâmico Ansar al-Islam, que opera na região, pode ter sido o responsável pelo atentado, de acordo com membros do PUK (Partido pela União Curda).

O cinegrafista, com outros jornalistas, tinha ido ao posto de controle no povoado para entrevistar refugiados curdos. O local tinha sido alvo de mísseis americanos no dia anterior.

Fogo ?amigo?

Um jornalista, um cinegrafista e um tradutor da rede de TV britânica ITN desapareceram ontem depois que o automóvel em que viajavam foi atingido no sul do Iraque, perto de Basra. Eles teriam sido vítimas de ataques anglo-americanos, segundo o jornal britânico ?The Mail on Sunday?.

Correspondente do jornal socorreu outro cinegrafista da ITN, Daniel Demoustier, que conseguiu pular do veículo. Segundo o diário, citando relato de Demoustier, a equipe passou por disparos vindos de tanques ?amigos?, quando um grupo de soldados iraquianos, aparentemente, desejavam se render. ?Estou muito furioso de que tenham sido os aliados a nos atingir?, disse Demoustier, em citação do jornal."

***

"Jornalista britânico é considerado morto", copyright Folha de S.Paulo, 24/3/03

"Um jornalista veterano da TV britânica ITN desaparecido no sul do Iraque foi considerado morto por seus empregadores. A televisão britânica disse que Terry Lloyd e dois colegas foram aparentemente apanhados por fogo amigo anteontem.

Até agora, a ITN vinha tratando Lloyd, 50, como desaparecido, mas afirmou ontem em um comunicado que tinha ?recebido suficiente evidência? para concluir que ele está morto.

?Acreditamos que seu corpo esteja no hospital de Basra, que ainda está sob controle iraquiano?, diz o comunicado. Seus companheiros, o câmera belga Franc Nérac e o intérprete libanês Hussein Osman, continuam sumidos.

Lloyd era um dos mais experientes correspondentes de guerra do Reino Unido. Já tinha coberto conflitos no Iraque, na Bósnia, no Camboja e no Kosovo.

Ele e sua equipe foram apanhados perto de Basra por disparos, possivelmente de forças britânicas, enquanto se deslocavam para a cidade em dois veículos.

A ITN afirmou acreditar que forças britânicas ou americanas tenham aberto fogo depois de ver iraquianos ?irregulares? na estrada na mesma direção. Um membro da equipe que sobreviveu, saltando do carro em chamas, afirmou que o fogo veio do lado das tropas britânicas.

Em Londres, o Ministério da Defesa disse que a equipe de TV pode ter sido apanhada no fogo cruzado. O secretário da Defesa, Geoff Hoon, descreveu Lloyd como um ?jornalista corajoso?, que tinha presenciado um ataque químico de Saddam em 1988."

"TV britânica ITN confirma morte de seu repórter", copyright O Estado de S.Paulo, 24/3/03

"A TV britânica ITN revelou ter informações de que seu experiente correspondente de guerra Terry Lloyd morreu sábado perto da cidade iraquiana de Basra e informou que dois membros de sua equipe ? Fred Nerac e Hussein Osman ? continuam desaparecidos.

?Acreditamos que seu cadáver está em um hospital de Basra, ainda sob controle iraquiano?, disse a ITN em um comunicado. A emissora acredita que as forças americanas ou britânicas abriram fogo por engano contra o veículo em que a equipe estava após ver forças ?irregulares? iraquianas viajando pelo mesmo caminho e na mesma direção. A equipe, ao contrário da maioria dos jornalistas que estão cobrindo a guerra, não viajava junto a uma unidade militar americana ou britânica.

Um membro da equipe conseguiu escapar e disse que os disparos vinham da direção onde estavam as forças britânicas. Em Londres, o Ministério da Defesa disse que a equipe pode ter ficado presa entre o fogo cruzado.Lloyd, de 50 anos, cobriu conflitos no Iraque, no Camboja, na Bósnia e em Kosovo durante sua premiada carreira. (Reuters)"

"Correspondente que denunciou horrores de Saddam é morto por fogo aliado, diz rede de TV", copyright O Globo, 24/3/03

"Um dos repórteres que primeiro denunciou as atrocidades do regime de Saddam Hussein foi morto a tiros no Iraque e, segundo a rede de TV para a qual trabalhava, soldados aliados são os autores dos disparos. Terry Lloyd, da rede de TV britânica ITN, tinha 50 anos e havia sido dado como desaparecido no sábado. Neste domingo, a direção da ITN disse o veterano correspondente de guerra foi morto. O destino de dois que estavam com ele e também desapareceram continua desconhecido.

?A ITN recebeu provas suficientes para acreditar que o correspondente da ITV News Terry Lloyd foi morto ontem (sábado) em um incidente no front de guerra, no sul do Iraque?, afirmou a rede de TV em uma nota. ?Nós acreditamos que seu corpo esteja em um hospital de Basra, que ainda está sob controle iraquiano. Dois membros de sua equipe, Fred Nerac e Hussein Osman, continuam desaparecidos e a ITN ainda não tem informações sobre o paradeiro ou condição de saúde deles.?

Lloyd e sua equipe de TV haviam desaparecido no sábado depois de ficar sob fogo, próximo de Basra, enquanto se dirigiam à cidade portuária em dois carros.

Na nota, a ITN disse que se acredita que forças aliadas teriam atirado depois de ver iraquianos seguindo em atitude suspeita pela estrada na mesma direção.

Premiado correspondente da ITV, Lloyd, cobriu extensivamente conflitos no Iraque, Camboja, Bósnia e Kosovo.

? Ele é o homem que primeiro alertou o mundo para os horrores de Saddam Hussein, indo à vila de Halaja e descobrindo curdos envenanado por gás lá ? disse o presidente da ITN, Stewart Purvis.

Segundo ele, o mais provável é que soldados americanos tenham matado Lloyd.

? Terry era corajoso, ele estava determinado e consciente de sua segurança ? disse Purvis.

Um membro da equipe que escapou disse que os tiros vieram da direção onde estavam baseadas as forças britânicas. Em Londres, o Ministério da Defesa disse que os jornalistas podem ter sido pegos em fogo cruzado.

O operador de câmera Daniel Demoustier, que estava com os Lloyd e os dois jornalistas desaparecidos, disse que eles estavam sendo seguidos por dois veículos iraquianos quando o tiroteio começou.

? Eu tive que me agachar imediatamente dentro do carro porque as janelas estavam explodindo. Eu olhei para a minha direita e para a porta direita, onde estava meu correspondente (Lloyd), mas a porta estava aberta e ele não estava mais lá ? disse Demoustier à ITV no sábado.

Ele afirmou que o carro caiu em uma valeta e pegou fogo, e que os tiros pareciam ter vindo do ?lado britânico?.

Segundo o Ministério da Defesa, a equipe da ITN havia passado direto por vários comandos e foi orientada a voltar. Um porta-voz disse que os jornalistas estavam entre as forças aliadas e os iraquianos quando foram atingidos.

Em outro região do Iraque, um jornalista australiano foi morto no sábado em um atentado com carro-bomba. Segundo autoridades curdas, o ataque foi realizado por um grupo extremista muçulmano."

 

INVASORES, GO HOME

"Festival de cinema alemão veta participação dos EUA e Inglaterra", copyright Cidade Biz, 21/3/03

"O 49? Festival Internacional de Curtas de Oberhausen, cidade do oeste da Alemanha, cancelou nesta sexta-feira a participação dos Estados Unidos, Inglaterra, Espanha e Itália nas solenidades do evento, que acontecerá de 1? a 6 de maio, pelo apoio destes países à guerra contra o Iraque.

Os representantes oficiais não poderão participar da cerimônia inaugural nem da entrega dos prêmios do festival, ressaltaram os organizadores em um comunicado, protestando assim contra o que denominaram ?política belicista? desses países.

O festival, que tem entre seus objetivos principais promover o entendimento entre os povos, contará este ano com a participação de 145 filmes representando 37 países. A competição reunirá 70 concorrentes. Serão exibidos também outros 37 curtas, de 20 países, na seção dedicada ao cinema infanto-juvenil.

Países como Colômbia, Índia, Cazaquistão e Albânia estarão fortemente representados no festival, anunciou o diretor do evento, Lars Henrik Gass."